quarta-feira, 29 de abril de 2009

Rodas de conversa farão a aproximação entre músicos e instituições culturais


Mostra terá ambiente privilegiado para que público e convidados possam conhecer melhor o trabalho de instituições culturais lusófonas
Entre os dias 12 e 16 de maio a Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa apresentará ao público um pouco da boa música produzida em nosso idioma, porém pouco conhecida no Brasil.Como parte deste processo de conhecimento do artista pelo mercado precisa da colaboração de um setor específico da cultura, representado por gestores e produtores culturais, a mostra fará essa aproximação, ao mesmo tempo que apresentará um panorama da produção para os presentes.
Alguns dos mais respeitados gerentes de centros culturais brasileiros, criadores de mostras e festivais reconhecidos internacionalmente complementarão a programação musical com palestras informais, denominadas Rodas de Conversa.Entre as instituições culturais convidadas, o Banco do Nordeste, o Sesc Ceará e o Festival Abril Pro Rock representam o nordeste, enquanto Itaú Cultural e Casa de Cultura da Universidade de Londrina, no Paraná, trazem uma visão do sul e sudeste.E, como não poderia deixar de ser, mais duas instituições internacionais: ONG Etnia, de Portugal, e Rede para a Diversidade Cultural de Moçambique.
Para desvendar um pouco da relação entre a nossa língua e a indígena, a linguista Ruth Monserrat, ex-professora da UFRJ apresentará a palestra “As inúmeras línguas indígenas faladas no Brasil e suas relações com o português”.
Nordeste
A realidade da produção cultural nordestina será tema para três conversas distintas. A primeira, com Henilton Menezes,Gerente de Gestão da Cultura do banco do Nordeste , abrirá as rodas no dia 12, com o tema “A ação do BNB na Cultura Nordestina”.No dia 14, uma mesa dupla: Dane de Jade, do Sesc Ceará, falará da Mostra Sesc Cariri de Cultura, que em 2009 terá sua décima primeira edição, enquanto o produtor Paulo André Pires, criador e produtor do festival pernambucano Abril Pro Rock apresentará a realidade do mercado independente brasileiro e internacional.
Sul e Sudeste
Com uma atuação importante em todo o país, especialmente por meio dos editais do projeto Rumos, o Instituto Itaú Cultural tem sede em São Paulo, de onde virá Edson Natale, gerente do núcleo de música da instituição. Sua fala será sobre produção cultural, na tarde do dia 15.Já a musicóloga, radiomaker e artista sonora Janete El Haouli terá como tema de sua fala, no dia 13, “As constelações da Cultura”, na qual trará informações sobre a Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina, no Paraná, da qual é diretora.
Portugal e Moçambique
Para representar dois dos países lusófonos presentes ao evento, Mário Alves, a ONG Etnia de Portugal e Roberto Isaías, da Rede Nacional para a Diversidade Cultural de Moçambique abordarão um pouco do trabalho das instituições que gerem.Alves é responsável pelo festival Na Ponta da Língua, que reúne nomes da cultura lusófona e já teve edição em Fortaleza.Já o músico, ativista e consultor de políticas culturais, Roberto Isaías, apresentará a palestra “Diversidade Cultural em Moçambique (visão histórica)”.
As rodas de conversa acontecerão em todos os dias da mostra, às 15h, no varandão.

Fundação Casa Grande será palco para a Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa, que terá recitais de músicos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal, além de rodas de conversa com gestores de instituições culturais brasileiras, africanas e européias, mostra de vídeo e exposição de folhetos de cordel
Oficialmente, estamos em três continentes, em oito países. Somos lusófonos. Esta palavrinha, ainda estranha para muitos, quer dizer uma coisa bem simples: falamos português. Cada um, porém, à sua maneira. Assim, interessa a todos saber o que nos une e o que nos diferencia.Em busca de algumas destas respostas, músicos e gestores culturais representantes de cinco destes países estarão no interior do Ceará entre 12 e 16 de maio para a mostra Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa.O evento será realizado no Teatro Violeta Arraes- Engenho de Artes cênicas, localizado na Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, em Nova Olinda. Serão cinco dias com recitais musicais, palestras, exposição de cordéis e mostra de vídeo da TV Casa Grande.
Convidados
Em sua primeira edição, a mostra será voltada principalmente ao intercâmbio musical. Cantores e compositores apresentarão para o público um pouco da cultura de seu lugar. Ao mesmo tempo, farão uma imersão na região, em visitas às casas de mestres como Seu Raimundo Aniceto, da Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto.De Angola, virá Filipe Mukenga, que recentemente gravou o disco “Nós somos nós” com Zeca Baleiro. De Moçambique, Stewart Sukuma. Cabo Verde será representado pelo jovem Vadú. Portugal nos presenteia com o som luso-brasileiro de JP Simões.Brasileiros? Temos dos bons: Elizah e Paulo Brandão deixam o litoral carioca para uma sonora apresentação no sertão. Abanda e Os Cabinha (jazz e rock na lata) são pratas da casa: criados entre as centenárias paredes da Fundação, representam a força da música cearense.
Rodas de conversa
Na cadeia produtiva das artes, músicos dependem de gestores de centros culturais para desenvolverem seu trabalho. Para proporcionar essa aproximação, foram convidados representantes das principais instituições para esta aproximação. São eles: Edson Natale (Itaú Cultural), Dane de Jade (Sesc Ceará), Heniton Menezes (Banco do Nordeste), Mário Alves (ONG Etnia – Portugal) e Roberto Isaías (Rede Nacional para a Diversidade – Moçambique) e Janete El Haouli, (Casa de Cultura da Universidade de Londrina).Para começar, logo na abertura a linguista Ruth Monserrat apresentará uma palestra sobre as aproximações entre o português e as línguas indígenas.
Mostra de vídeos e cordel
A produção da TV Casa Grande será apresentada ao público por meio de uma mostra, que selecionou cinco curtas-metragens sobre a região.Durante todo o período, o público também terá acesso a uma exposição com cerca de mil títulos de folheto de cordel, que representa de forma interessante o objetivo da mostra: afinal, nasceu em Portugal e encontrou sua casa no nordeste brasileiro. Um intercâmbio que deu certo – e já faz tempo.
A Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa é uma iniciativa da Fundação Casa Grande, e foi viabilizada pelo edital BNB de Cultura 2009.


Mostra terá ambiente privilegiado para que público e convidados possam conhecer melhor o trabalho de instituições culturais lusófonas
Entre os dias 12 e 16 de maio a Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa apresentará ao público um pouco da boa música produzida em nosso idioma, porém pouco conhecida no Brasil.Como parte deste processo de conhecimento do artista pelo mercado precisa da colaboração de um setor específico da cultura, representado por gestores e produtores culturais, a mostra fará essa aproximação, ao mesmo tempo que apresentará um panorama da produção para os presentes.
Alguns dos mais respeitados gerentes de centros culturais brasileiros, criadores de mostras e festivais reconhecidos internacionalmente complementarão a programação musical com palestras informais, denominadas Rodas de Conversa.Entre as instituições culturais convidadas, o Banco do Nordeste, o Sesc Ceará e o Festival Abril Pro Rock representam o nordeste, enquanto Itaú Cultural e Casa de Cultura da Universidade de Londrina, no Paraná, trazem uma visão do sul e sudeste.E, como não poderia deixar de ser, mais duas instituições internacionais: ONG Etnia, de Portugal, e Rede para a Diversidade Cultural de Moçambique.
Para desvendar um pouco da relação entre a nossa língua e a indígena, a linguista Ruth Monserrat, ex-professora da UFRJ apresentará a palestra “As inúmeras línguas indígenas faladas no Brasil e suas relações com o português”.
Nordeste
A realidade da produção cultural nordestina será tema para três conversas distintas. A primeira, com Henilton Menezes,Gerente de Gestão da Cultura do banco do Nordeste , abrirá as rodas no dia 12, com o tema “A ação do BNB na Cultura Nordestina”.No dia 14, uma mesa dupla: Dane de Jade, do Sesc Ceará, falará da Mostra Sesc Cariri de Cultura, que em 2009 terá sua décima primeira edição, enquanto o produtor Paulo André Pires, criador e produtor do festival pernambucano Abril Pro Rock apresentará a realidade do mercado independente brasileiro e internacional.
Sul e Sudeste
Com uma atuação importante em todo o país, especialmente por meio dos editais do projeto Rumos, o Instituto Itaú Cultural tem sede em São Paulo, de onde virá Edson Natale, gerente do núcleo de música da instituição. Sua fala será sobre produção cultural, na tarde do dia 15.Já a musicóloga, radiomaker e artista sonora Janete El Haouli terá como tema de sua fala, no dia 13, “As constelações da Cultura”, na qual trará informações sobre a Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina, no Paraná, da qual é diretora.
Portugal e Moçambique
Para representar dois dos países lusófonos presentes ao evento, Mário Alves, a ONG Etnia de Portugal e Roberto Isaías, da Rede Nacional para a Diversidade Cultural de Moçambique abordarão um pouco do trabalho das instituições que gerem.Alves é responsável pelo festival Na Ponta da Língua, que reúne nomes da cultura lusófona e já teve edição em Fortaleza.Já o músico, ativista e consultor de políticas culturais, Roberto Isaías, apresentará a palestra “Diversidade Cultural em Moçambique (visão histórica)”.
As rodas de conversa acontecerão em todos os dias da mostra, às 15h, no varandão.

Fundação Casa Grande será palco para a Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa, que terá recitais de músicos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal, além de rodas de conversa com gestores de instituições culturais brasileiras, africanas e européias, mostra de vídeo e exposição de folhetos de cordel
Oficialmente, estamos em três continentes, em oito países. Somos lusófonos. Esta palavrinha, ainda estranha para muitos, quer dizer uma coisa bem simples: falamos português. Cada um, porém, à sua maneira. Assim, interessa a todos saber o que nos une e o que nos diferencia.Em busca de algumas destas respostas, músicos e gestores culturais representantes de cinco destes países estarão no interior do Ceará entre 12 e 16 de maio para a mostra Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa.O evento será realizado no Teatro Violeta Arraes- Engenho de Artes cênicas, localizado na Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, em Nova Olinda. Serão cinco dias com recitais musicais, palestras, exposição de cordéis e mostra de vídeo da TV Casa Grande.
Convidados
Em sua primeira edição, a mostra será voltada principalmente ao intercâmbio musical. Cantores e compositores apresentarão para o público um pouco da cultura de seu lugar. Ao mesmo tempo, farão uma imersão na região, em visitas às casas de mestres como Seu Raimundo Aniceto, da Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto.De Angola, virá Filipe Mukenga, que recentemente gravou o disco “Nós somos nós” com Zeca Baleiro. De Moçambique, Stewart Sukuma. Cabo Verde será representado pelo jovem Vadú. Portugal nos presenteia com o som luso-brasileiro de JP Simões.Brasileiros? Temos dos bons: Elizah e Paulo Brandão deixam o litoral carioca para uma sonora apresentação no sertão. Abanda e Os Cabinha (jazz e rock na lata) são pratas da casa: criados entre as centenárias paredes da Fundação, representam a força da música cearense.
Rodas de conversa
Na cadeia produtiva das artes, músicos dependem de gestores de centros culturais para desenvolverem seu trabalho. Para proporcionar essa aproximação, foram convidados representantes das principais instituições para esta aproximação. São eles: Edson Natale (Itaú Cultural), Dane de Jade (Sesc Ceará), Heniton Menezes (Banco do Nordeste), Mário Alves (ONG Etnia – Portugal) e Roberto Isaías (Rede Nacional para a Diversidade – Moçambique) e Janete El Haouli, (Casa de Cultura da Universidade de Londrina).Para começar, logo na abertura a linguista Ruth Monserrat apresentará uma palestra sobre as aproximações entre o português e as línguas indígenas.
Mostra de vídeos e cordel
A produção da TV Casa Grande será apresentada ao público por meio de uma mostra, que selecionou cinco curtas-metragens sobre a região.Durante todo o período, o público também terá acesso a uma exposição com cerca de mil títulos de folheto de cordel, que representa de forma interessante o objetivo da mostra: afinal, nasceu em Portugal e encontrou sua casa no nordeste brasileiro. Um intercâmbio que deu certo – e já faz tempo.
A Cariri das Artes dos Países de Língua Portuguesa é uma iniciativa da Fundação Casa Grande, e foi viabilizada pelo edital BNB de Cultura 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...