sábado, 31 de julho de 2010

LUIZ KARIMAY está tão vivo quanto Padre Cícero, Buda e Leonardo da Vinci - Por: Dihelson Mendonça


"Dizer que Karimay é um espírito de Luz, é uma tripla redundância, e houve apenas uma passagem de planos. Ele continua tão vivo quanto no dia em que conversei com ele pela última vez. Depois de ter deixado uma obra extensa aqui na terra, ele parte para uma nova Jornada, rumo a outras dimensões, outros planos. Não devemos ficar a lamentar o ocorrido. Se assim o fizermos, estaremos testemunhando que Karimay morreu, o que não é verdade. Karimay está agora tão vivo quanto o Padre Cícero, Buda ou Leonardo Da Vinci. Com um detalhe importante para ele: Livre de qualquer sofrimento que a carne lhe impusera nos últimos tempos. Sua obra agora aqui na terra está completa."

SALVE GRANDE LUIZ KARIMAY!

Dihelson Men

Crônicas de uma geração: o Bar de Abidoral

O “barman” Abidoral e Salatiel, o mentor do espaço

O Abidoral em questão é o mais conhecido abidoral do Crato: Abidoral Rodrigues Jamacaru Filho, cantor e compositor, projetado a partir dos festivais de música que aconteceram na cidade por toda década de 1970.

Pois bem, Abidoral já teve um barzinho, em sociedade com o também músico cratense Calazans Callou. O bar durou pouco, acho que no máximo um ano, mas propiciou momentos aprazíveis e boas e risíveis histórias.

Era 1985, um ano bom. Abidoral foi incentivado por Luiz Carlos Salatiel a ser um empreendedor. Calazans, que na época trabalhava no Bamerindus, topou dividir os duros afazeres deste complicado ramo comercial. A ideia de Salatiel era pragmática: como era impossível sobreviver de música no Cariri naqueles anos da chamada “década perdida” da economia brasileira (permeada de inflação, pacotes heterodoxos de choques econômicos, falta de incentivo à cultura, inexistência de espaços e mercados para o artista local etc), então o jeito era construir uma alternativa que aliasse negócio e diversão. Um bar, por isso, seria o empreendimento ideal.

Calazans, que conhecia os distribuidores de bebida da região, conseguiu o fornecimento de forma consignada. O espaço escolhido foi o Bar das Anas, como era conhecido o bar mantido por Ana Cássia e Ana Leonel, que estavam deixando o ramo, localizado no conjunto Padre Cícero, bem próximo da divisa Crato-Juazeiro.

Para a rapaziada que estava órfã de um point alternativo, foi um presentaço. O local era super-agradável, bastante ventilado, amplo, visto que havia um terrenão baldio ao lado, e muito acessível. Para queles que não tinham automóveis, a grande maioria, a solução era pegar o busão da Viação Brasília e saltar bem na porta do bar.

O nome do bar não poderia ser outro – Bar de Abidoral – batizado que foi pelo senso comum da galera. Nem adiantaria colocar, por exemplo, “Espaço Cultural Avallon”, pois não pegaria. A rapeize prontamente dizia: vamos pro Bar de Abidoral, e pronto!

Além da bebida e do peixe frito, o outro principal prato da casa era, lógico!, música: refinado som ambiente e excelente música ao vivo. Todas as sextas e sábados, um espetáculo. Foram antológicas, por exemplo, as apresentações da Banda Cariri (leia-se João do Crato, Manel D’Jardim, Cacheado, Cleivan Paiva, Borís, Nivando, Paulo Lobo e Iran, respectivamente no vocal, baixo, bateria, guitarra, baixo, sax, trombone e piston).

Na parede externa, o pintor Romildo Alves fez um painel retratando as figuras que frequentavam o bar: artistas das mais diversas especialidades e os contumazes boêmios. Além, é claro!, de Abidoral, imagens caricaturizadas de Geraldo Urano, a la filósofo grego, e Zadinha, retratado de véu e grinalda. Zadinha, apelido do artesão Osvaldo Filho, foi a noiva da única e inesquecível quadrilha junina que o Bar de Abidoral realizou. O noivo foi Monquinha Cabral.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

SHOW!

Particiação Especial: Elisa Moura

Armazém do som & Performance Poética,hoje no teatro do Sesc-Juazeiro as 20h,com a poética intrisica de Luiz Augusto Bitu,o então conhecido nos meios cordelizados caririenses o BITU,com o recital POP marginal Cordelizados,"Composição Caririense".Bitu é integrante da Academia dos Cordelistas do Crato,o que seria na verdade a taça de Ebano e azeitonas,na taça de Ovidios dos consumidores de ervas de Chás de Eva doces.Grande Bitu,nascido em Crato,é poeta teimoso que experimenta novas linguagens em antigas técnicas.Um artista que enfrenta a realidade com humor ao som da batida anicetica ireverestes dos sons caririenses.

Em breve BITU,estará lançando um cordel,polemico e ireverente sobre areal vida pregressa do poeta Wilson Bernardo...A CONTRATURA MUSCULAR DE wilson bernardo.

fonte:http://blogdocrato.blogspot.com
Texto e fotografia: Wilson Bernardo





quinta-feira, 29 de julho de 2010

A COMÉDIA DA MALDIÇÃO NA PRAÇA DA SÉ - CRATO-CE - SÁBADO - 20 HORAS

Entrepontos encerra seu primeiro ciclo de encontros no Crato (CE)


O programa Entrepontos chega à quarta cidade do interior cearense na próxima terça, 3 de Agosto. O projeto é uma ação prévia da IX Feira da Música de Fortaleza. O fim do primeiro ciclo do Entrepontos marca a véspera da Feira, que acontecerá no período de 18 a 21 de agosto no Centro Dragão do Mar

O Crato (CE) é a última cidade do primeiro ciclo do programa Entrepontos. A série de encontros no interior cearense passou por Guaramiranga, Itapipoca e Quixadá antes de chegar ao município da região do Cariri. De 3 a 6 de agosto, o Crato recebe o encontro que envolverá músicos, técnicos, produtores e demais agentes do universo musical. Este público terá a oportunidade gratuita de interagir com convidados do Ceará e de outros estados do Brasil, assistir palestras e participar de grupos de trabalho (GTs) divididos em três áreas de capacitação da música – Comunicação; Gestão de Carreira e Produção; e Direção e Técnicas de Palco.

O Entrepontos já reúne resultados da experiência de realização do encontro nas três primeiras cidades deste ciclo. Em Guaramiranga, cerca de 40 pessoas participaram dos GTs e diagnosticaram, junto aos facilitadores, a necessidade de se organizar um núcleo produtivo para dar conta da boa movimentação do calendário cultural da cidade. A leitura parte da sugestão de que o expediente de projetos culturais realizados no município, como o Festival de Jazz & Blues e o Festival Nordestino de Teatro, pode reunir uma presença mais significativa de mão-de-obra local.

Em Itapipoca, o grupo que reuniu em torno de 70 pessoas traçou um planejamento de ações para a cena musical do município. Mobilizar uma atividade envolvendo a música de Itapipoca na Feira da Música de Fortaleza; programar uma mostra de músicos locais na capital cearense; organizar uma mostra de música na própria região; e realizar ensaios abertos da orquestra da cidade foram algumas dessas ações.

A cidade de Quixadá reuniu aproximadamente 40 pessoas, a exemplo de Guaramiranga, distribuídas entre os GTs. Na agenda quixadaense, os participantes planejaram organizar uma grande caravana para a Feira da Música; mobilizar uma atividade envolvendo a música de Quixadá também na Feira; estimular o intercâmbio Fortaleza – Quixadá entre os artistas locais; levar a tecnologia de transmissão de shows ao vivo pela Internet para outros eventos da cidade.

Em comum, os GTs de comunicação das três cidades criaram uma lista de discussão online e um blog a fim de reforçar – respectivamente - a comunicação entre os agentes do município e de conectar a produção local com o resto do mundo. O Entrepontos finaliza os encontros desta série traçando um mapeamento da cadeia produtiva da música em cada cidade, de acordo com a participação nos GTs. A atividade sugere um posicionamento para que cada participante entenda a sua responsabilidade com a cena musical local. Até então, em torno de 150 pessoas já receberam o certificado de participação no Entrepontos.

A realização do EntrePontos é da Associação dos Produtores de Discos do Ceará (ProDisc), com a parceria do Sebrae (CE) e incentivo do Sistema Estadual da Cultura (SIEC). No Crato, o programa conta com apoio da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude do município e do Sebrae local.

O Encontro – O Entrepontos abre a sua programação para empreendedores, gestores culturais e de entretenimento, estudantes e profissionais vinculados às linguagens artísticas e áreas afins, como Design, Moda, Comunicação Social e Turismo. O acesso é gratuito e as inscrições prévias estão abertas na sede do Sebrae do Crato (Rua Senador Pompeu, 341, Centro).

A dinâmica de cada encontro segue o esquema abaixo:

- Encontro Geral, com abertura do evento e reconhecimento dos participantes de cada município;

- Palestras temáticas, com a realização dos painéis de troca de experiências com convidados do Ceará e de fora do Estado;

- Grupos de Trabalho (GT), facilitados por agentes de reconhecido saber e experiência nas áreas de Comunicação; Gestão de Carreira e Produção; Direção e Técnicas de Palco;

- Laboratório Musical. É a atividade final do encontro, momento em que os participantes acompanharão a realização de um evento musical – com apresentação de três atrações. O laboratório será o espaço para a aplicação de conhecimentos adquiridos nos GTs, à medida do potencial e aprendizado de cada participante e de seu respectivo entendimento sobre o evento.

Programação

* Crato

Locais: Palestras e GTs na sede local do Sebrae (Rua Senador Pompeu, 341, Centro) e shows no Centro Cultural do Araripe (Largo da RFFSA – antiga estação ferroviária)
Acesso: Gratuito

- 3/8:

14 às 19h30 – Encontro geral (com intervalo)

- 4/8:

14 às 17h – Grupos de Trabalho

17h30 às 19h30 – Painel com Benjamin Taubkin (pianista do selo Núcleo Contemporâneo e membro da ABMI – Associação Brasileira de Música Independente/SP) e Amaudson Ximenes (Associação Cultural Cearense do Rock – ACR/CE)

- 5/8:

14 às 17h – Grupos de Trabalho

17h30 – Preparação para o laboratório musical

- 6/8:

9 às 16h – Laboratório musical

17h – Sorteio de brindes e finalização dos GTs

20 às 22h – Shows com Felipe Cazaux (CE) e bandas locais

Serviço – EntrePontos – série de encontros, realizada no interior do Ceará, com foco na capacitação em negócios da música. Dias 30 de junho a 3 de julho em Guaramiranga (CE), 14 a 17 de julho em Itapipoca (CE), 21 a 24 de julho em Quixadá (CE) e 3 a 6 de agosto no Crato (CE). Acesso: Gratuito. Informações gerais: (85) 3262.5011 – entrepontosce@gmail.com

Mais informações para a Imprensa: (85) 8690.2466 – fgurgel@gmail.com (Felipe Gurgel) e (85) 8846.6092 – debmedeiros@gmail.com (Débora Medeiros)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Faça sua inscrição para o ENTRE PONTOS!

Vagas limitadas para o ENTRE PONTOS, a feira da música integrando o Ceará, o programa abre sua programação para produtores musicais, empreendedores, gestores culturais e de entretenimento, estudantes ou profissionais vinculados às linguagens artísticas.
O ENCONTRO
Tem como objetivo identificar os agentes da cadeia produtiva da música tais como músicos, produtores, técnicos e etc.
Este mapeamento resultará na publicação de um catálogo com contatos desses agentes locais no sentido de contribuir para a circulação e difusão da música cearense, fortalecendo a cadeia produtiva da música do nosso Estado.
A DINÂMICA
A programação contará com palestras, grupos de trabalho, relatos de experiência e um laboratório prático de produção envolvendo os participantes na realização de uma mostra musical.

Cariricaturas
Do blog para o papel

Recebi do meu amigo Wilton Dedê, um incansável residente da cultura caririense, um exemplar devidamente autografado do livro “Cariricaturas em Verso e Prosa”, edição que registra o fazer literário de um grupo de escritores que postam suas criações no blog www.caricaturas.blogspot. Com. Ao ler o livro percebi que nem tudo que está ali é diletantismo e que nem tudo está preso a um passado imóvel, feito naftalinas mofadas.

Não vou entrar no mérito literário, uma vez entendido que a essência desse feito seja exatamente o ato sacramental e fundador de ações coletivas que encenam suas vivências em um espaço virtual. A partir dessa decupação, dois aspectos me chamaram a atenção nessa obra. Creio que esses aspectos possam traduzir, em parte, aquilo que se pretende em uma criação dessa espécie, bem como aquilo que não se espera em forma de repercussão interventiva.

O primeiro aspecto é o diálogo imaterial e material entre as mídias, a escrituração que sai do campo virtual da rede mundial de computadores, carregando todas as transversais que isso representa, para cair no universo imemorial da imprensa, conservando e prolongando o poder da escrita no papel, e tudo que essa escrita representa dentro da história da humanidade. O outro aspecto é o dialogismo entre o universal e o provinciano, em seu eterno jogo de junção e disjunção na construção do cotidiano das pequenas narrativas individuais.

Dentro da leitura que faço dessa obra que intervém diretamente em nosso universo imaginário como um eterno retorno, os aspectos que me chamaram a atenção revelam o tanto que este livro está inserido em nossa realidade, em nossa contemporaneidade, exatamente pelo que ele tem da fragmentação e da descontinuidade. Se por um lado o “Cariricaturas em Prosa e Verso” busca visibilidade através de um marco, de um registro mais palpável, de um ancoradouro de idéias, de uma amostragem da nossa cultura, por outro lado ele indicia categoricamente também o que é propriedade criativa daquele que navega anonimamente na rede, que está oculto, mas que também é parte dessa bricolagem. Eis o intrigante flâneur da nossa era.

Longe de querer ser uma síntese do que se produz artisticamente aqui no Cariri, o “Cariricaturas em Prosa e Verso” se projeta como uma janela de um apartamento do infinito edifício das manifestações culturais. Olhando através dela é possível ter uma visão tremeluzente e impressionada do que aqui se faz e do que aqui se paga. Ao mesmo tempo em que você encontrará o cangaceiro de Wilton Dedê sentado em sua montaria, correndo bribocas secas, tendo lobisomens e volantes em seu encalço, você também encontrará a viva, a mais que presente opacidade das gravuras de Bruno Pedrosa, que oferecem a você apenas o espaço e nenhum chão.

O grande barato desse livro é que ele proclama, de forma belamente irônica, a perversão total dos comentários anônimos, a forma anarquista mais temida por aqueles que se relacionam coletivamente na rede mundial de computadores. Agora você pode pegar o livro e fazer o comentário que você quiser. Sem que ninguém saiba quem você é. E mais ainda, sem que os autores nem saibam o que você está comentando e nem para quem você está comentando.

terça-feira, 27 de julho de 2010

SOBRE O PARQUE ECOLÓGICO DO SITIO FUNDÃO


Acompanhei nos últimos dias as varias manifestações de setores da imprensa e da sociedade cratense, incluindo alguns visitantes que estiveram no Stand da SEMACE na Expocrato, os quais fizeram cobranças e elogios aos encaminhamentos dados pelo órgão em relação à administração e qualificação do Parque Estadual do Sítio Fundão. Muitos porém, acusando negligência do Estado e cobrando informações acerca do processo de implantação daquela Unidade de Conservação.

Como cidadão cratense, interessado em esclarecer tais fatos, procurei informações na SEMACE e na SECULT sobre o processo, que agora repasso, para que a população cratense fique melhor informada.

De início informo que a SEMACE, escritório do Crato, tem todas as informações necessárias sobre o processo de implantação do referido Parque. Qualquer cidadão cratense pode se dirigir ao escritório daquele Órgão que será atendido em qualquer indagação acerca do processo do Sítio Fundão. Inclusive, a partir de 1º de junho foi nomeado como Gerente do Parque, o professor Mardineuson Sena.

O processo de aquisição da área, bem como de criação do Parque Ecológico do Sítio Fundão, foi um projeto apresentado e aprovado pelo Governo do Estado, na gestão do então Presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente, André Barreto, ainda em 2008.

Quanto às construções previstas para o Parque, informo-lhes que houve a assinatura da Ordem de Serviço pelo Governador Cid Gomes, em junho de 2009, como é do conhecimento de todos, no entanto, a empresa contratada nunca iniciou as obras previstas. Inicialmente, a empresa argumentou a falta de ligação de energia elétrica, fato sanado com a intervenção do próprio Governo do Estado, mas ao final demonstrou total desinteresse na realização do projeto, fato que independe da vontade dos órgãos envolvidos. No momento as obras previstas estão sendo discutidas dentro do órgão com o posterior encaminhamento para outra empresa.

Pelo projeto seriam construídos: Um prédio para a CPMA (Polícia Ambiental), uma sede para a Unidade de Conservação/SEMACE, uma casa para o Gerente do Sítio Fundão, um estábulo para cavalos da CPMA, galpão garagem para máquinas/veículos, um espaço multiuso com auditório e alojamentos.

Neste espaço de tempo, a SEMACE recebeu uma demanda da SECULT, informando que estava em análise um pedido de tombamento da casa, do engenho e da barragem. O pedido foi feito pelos ambientalistas, professor Eldinho Pereira da Silva e Miralva Ferreira Guedes da Silva (ver pareceres dos processos 07106346 3 e 07272650 4, da SECULT - CE), sendo também alertada sobre as possibilidades de impacto ambiental causado pela quantidade de intervenções físicas no Parque.

Observem que o Órgão (SEMACE), por força de Lei, não tem poderes para intervir nestes imóveis enquanto durar o processo de tombamento que também envolve o COEPA e o IPHAN. No entanto, continua a buscar uma solução rápida para a questão.

A SEMACE, de forma tempestiva, acatou a demanda e está reestudando o projeto, de forma a diminuir ao máximo as intervenções físicas e outros impactos considerando os fixos e fluxos que poderão ser instalados na Unidade de Conservação. Foi pedido o desmembrando de dois itens do referido projeto como forma de agilizar a liberação do Parque à comunidade:
I - Abertura das trilhas (cujo mapeamento já está pronto)
II - Sinalização do Parque para facilitar/orientar a visita.

Insisto na informação daqueles que procuram outros meios (rádios, jornais, blogs) para falar sobre o assunto, que a SEMACE, escritório do Crato, tem todas as informações necessárias sobre o processo de implantação do Parque Estadual Sítio Fundão, e que estas informações estão ao alcance de todos. Procurem o Professor Mardineuson, gerente do Parque. Lembro ainda que todos os processos de Governo são públicos e podem ser acessados por qualquer cidadão através da Internet.

Quanto à proibição de visitas, informo-lhes que o processo envolve a Promotoria Pública do município do Crato e, segundo o próprio Promotor, “é uma questão de segurança do Parque e das pessoas”. Mas com o envio de documento, ressaltando os objetivos da visita, a autorização pode ser expedida pela gerência do Parque, mediante a viabilização e o acompanhamento por parte da CPMA, sempre no turno da manhã.

As dúvidas podem se tiradas com a Gerência de Unidade de Conservação (88) 8844 5750 e (88) 3102 1288. E as que não forem tiradas em Crato podem ser dirigidas à Sra. Elisabete Romão, Coordenadora Florestal, na SEMACE Fortaleza, à qual está vinculada a Unidade de Conservação Parque Sítio Fundão, pelo telefone (085) 3101-5546.

Um abraço

Wilton Dedê

Inscrições Abertas para o Cariri Cangaço 2010!

Prezados amigos;

As Inscrições para o Cariri Cangaço 2010 estão abertas, e este ano será muito mais fácil participar, não precisa preencher Ficha, basta nos enviar um email para o endereço abaixo:
Com os dados abaixo:
NOME
TELEFONE
ENDEREÇO
EMAIL
ATIVIDADE PROFISIONAL

Pronto! Já está inscrito para um dos maiores eventos do Cangaço no Brasil!
Seja bem vindo, faça já a sua Inscrição.
 Mairoes Informações
 visite nosso Site:
www.cariricangaco.com
Produção Cariri Cangaço

CONHEÇA O CARIRI CANGAÇO
:
Cariri Cangaço - Coronéis, Beatos e Cangaceiros, evento de cunho turístico-cultural e científico; em sua edição 2010, acontecerá na Região do Cariri, sul do estado do Ceará, tendo como cidades anfitriãs: Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha, Aurora e Porteiras. Reunirá a partir de uma programação plural, dinâmica e universal, personalidades locais, regionais e nacionais; do universo da pesquisa e estudo das temáticas ligadas ao Cangaço, Tradições e Histórias do Nordeste. Até o presente momento temos a confirmação de 86 personalidades, entre: pesquisadores, escritores, professores de várias áreas, artistas, cineastas, documentaristas, fotografos, jornalistas, enfim.
O Evento em sua segunda edição terá um conjunto de 16 conferências, seguidas de debates, abordando temáticas ligadas à historiografia nordestina (sub temas: Coronéis, Beatos e Cangaceiros); distribuídas durante o período de realização do mesmo; 6 dias ; nos 6 municípios anfitriões. Os conferencistas são pesquisadores, estudiosos, escritores e professores, de renome nacional.
A partir da Universidade Regional do Cariri – URCA; parceira do evento; o Cariri Cangaço - Coronéis, Beatos e Cangaceiros, estará promovendo também um grande Painel de apresentação de Trabalhos Acadêmicos, de participantes de todo o Brasil, sobre a temática do encontro.
Será apresentada a II Mostra Cariri Cangaço de Cinema, Vídeo e Documentários, possibilitando aos participantes uma maior interação com a temática a partir dos trabalhos apresentados.
Teremos a II Latada do Livro Cariri Cangaço, onde os participantes terão a oportunidade de entrar em contato com as principais obras literárias sobre a temática.
Teremos o II Grande Salão Cariri Cangaço, onde serão lançadas 8 novas obras literárias sobre a temática; de autores de todo o Nordeste e também São Paulo.
Teremos distribuídas nos seis dias de evento, 17 Apresentações Artísticas, com as mais significativas manifestações culturais e folclóricas de toda região do Cariri, das áreas das Artes Cênicas, Música e Cultura Popular.
Em sua primeira edição, o Cariri Cangaço-2009, reuniu 79 personalidades do universo da pesquisa e estudo das temáticas ligadas ao nordeste e ao cangaço; recebemos no cariri cearense 197 participantes de 12 estados da federação; Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal; além dos mais 1.500 participantes dos municípios promotores. Durante seis dias no ano de 2009; entre 22 e 27 de setembro, foram realizadas 19 Conferências, seguidas de debates, 21 Visitas Técnicas e 23 Apresentações Artísticas. Foram inauguradas a I Mostra de Cinema e Vídeo Cariri Cangaço, como também foi lançada a I Latada do Livro Cariri Cangaço, tivemos ainda o lançamento de 6 novos livros de escritores dos estados de Pernambuco, Ceará, Distrito Federal e Minas Gerais

O Cariri Cangaço é uma promoção da Cariri do Brasil, uma realização das prefeituras municipais de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha e Aurora, URCA/PROEX e ainda o apoio da SBEC, do ICC, do Centro Pró Memória, do ICVC, da Fundação Memorial Padre Cícero, da Associação de Cordelista de Crato, do Ponto de Cultura Lira Nordestina, do SEBRAE, do SESC e do Centro Cultural Banco do Nordeste, Grupo Empresarial Guanabara e Revista Nordeste VinteUM.
cariricangaco.blogspot.com
Manoel Severo
Curador e Coordenador do Cariri Cangaço

Quando agosto chegar; logo após a final da Copa do Mundo... uma outra Seleção entra em campo!

A família Cariri Cangaço 2010.
Veja quem estará conosco em um dos maiores evento do gênero, no Brasil:

Antônio Amaury - SÃO PAULO ; Aderbal Nogueira - FORTALEZA; ; Alexandre Lucas - CRATO; Ângelo Osmiro - FORTALEZA ; Alcino Costa - POÇO REDONDO ; Arlene Pessoa - CRATO; Assis Nascimento - MOSSORÓ; Arievaldo Viana - CAUCAIA; Afrânio Gomes - FORTALEZA; Ana Rosa - CRATO; Assis Timóteo - TRIUNFO; Alessandra Bandeira - CRATO; Ana Lúcia - PETROLINA; Alfredo Bonessi - FORTALEZA; Anna Christina Carvalho - CRATO;  Alônio Linard - MISSÃO VELHA; Antônio Vicelmo - CRATO; Antônio Tomaz Cisne - FORTALEZA; Antônio Vilela - GARANHUNS; Armando Lopes Rafael - CRATO; Aldo Anísio - FORTALEZA; Barros Alves - FORTALEZA; Bosco André - MISSÃO VELHA; Cleuder Arcanjo - MOSSORÓ; Carlos Elydio - SÃO PAULO; Chagas Nascimento- MOSSORÓ; Cacá Araujo - CRATO; Caio Cesar Muniz - MOSSORÓ ; Carlos Rafael Dias - CRATO; Carlos Macedo - AURORA; Carlos Santos - NATAL; Célia Magalhães - MISSÃO VELHA; Comendador Mariano - FORTALEZA; Carla Prata - CRATO; César Magale - NATAL ; Cicinato Neto - LIMOEIRO DO NORTE; David Bandeira - MACEIÓ; Daniel Walker - JUAZEIRO DO NORTE; Dra. Francisquinha - CAJAZEIRAS; Dário Castro Alves - FORTALEZA; Diana Lopes - TRIUNFO; Dilson Patativa - TERESINA; Dihelson Mendonça - CRATO; Edésio Batista - CRATO; Emanuel Braz - MOSSORÓ; Eloisa Farias - BRASÍLIA; Emilson Silva - JOÃO PESSOA; Édio Calou - CRATO; Felipe Caixeta - JUAZEIRO DO NORTE; Fernando Pinto - CRATO;  Fatima Pereira - CAJAZEIRAS; Franklin Jorge - NATAL; Francisco Pereira - CAJAZEIRAS; Geraldo Ferraz - RECIFE; Gilmar Teixeira - PAULO AFONSO; Geraldo Maia - MOSSORÓ; Gonzaga de GARANHUNS; Huberto Cabral - CRATO; Honório de Medeiros - NATAL ; Hugo Rodrigues - JUAZEIRO DO NORTE; Isa Fernandes - SOUZA; Isabel Zastini - FLORIANÓPOLIS; Ivan Maurício - RECIFE; Ivanildo Silveira - NATAL; Jackson Bantim Bola - CRATO; José Cláudio Cacau - PIRANHAS; José Edmilson Cisne - FORTALEZA; José Cícero - AURORA; José Ivo Dantas - MISSÃO VELHA; Josélio Araújo - BARBALHA; Jackson Nuvens - NOVA OLINDA; Josenir Lacerda - CRATO; Jairo Luiz - PIRANHAS, Josier Silva - BARBALHA; Juliana Ischiara - QUIXADÁ; Janio Rego - FEIRA DE SANTANA; João Paulo Carvalho - DORES; José Flávio Vieira - CRATO; João de Sousa Lima - PAULO AFONSO; Joventino Melo - SALVADOR; Janinha Brito - CRATO; Kydelmir Dantas - MOSSORÓ; Kaika Luiz - CRATO; Kael Rocha - JATI; Lívio Ferraz - FORTALEZA; Lemuel Rodrigues - MOSSORÓ; Leopoldo Kawisner - FORTALEZA; Luiz Domingos de Luna - AURORA; Leandro Cardoso - TERESINA; Lenin Falcão - JUAZEIRO DO NORTE; Kiko Monteiro -LAGARTO; Manoel Neto - SALVADOR; Mano Grangeiro - JUAZEIRO DO NORTE; Marcílio Falcão - MOSSORÓ; Mayara Almeida - CAJAZEIRAS; Magérbio de Lucena - CRATO; Manoel Nascimento - MOSSORÓ; Múcio Procópio - NATAL

É ... a família aumentou!!! Vamos lá...

Nemézio Barbosa - CRATO ; Neli Gonçalves - BELO HORIZONTE; Rosário Lustosa - JUAZEIRO DO NORTE; Nezim Patrício - CRATO; Nívia Uchoa - JUAZEIRO DO NORTE ; Nizete Alencar - CRATO; Napoleão Tavares Neves - BARBALHA; Paulo Gastão - MOSSORÓ; Paulo Moura - RECIFE; Pedro Henrique - BRASÍLIA; Patrício Melo - CRATO; Paulo Britto - RECIFE; Renato Dantas - JUAZEIRO DO NORTE; Ricardo Sabadia - FORTALEZA; Raimundo Marins - SALVADOR; Renato Cassimiro - JUAZEIRO DO NORTE; Rui Siqueira - VITORIA; Rosa Bezerra - RECIFE; Rostand Medeiros - NATAL; Rubinho Lima - PAULO AFONSO; Océlio Teixeira - CRATO; Sandro Lopes - AURORA; Sabino Bassetti - SÃO PAULO; Sandro Leonel - CRATO; Sérgio Barros - JUAZEIRO DO NORTE; Sávio Cordeiro - CRATO; Salete Rego - RECIFE; Ulisses Germano - CRATO;  Vilson Leite - PORTEIRAS; Vicente Landim - BRASILIA; Valdir Júnior - FORTALEZA; Vilma Maciel - JUAZEIRO DO NORTE; Wilton Dedê - CRATO; Wilson Seraine - TERESINA; Wescley Dutra - JOÃO PESSOA; Wilson Bernardo - CRATO.

Tá sentido falta de alguém, né?
Pois é, nós também: Você !

Confirme já sua presença e venha conosco participar do
Cariri Cangaço 2010 - Coronéis, Beatos e Cangaceiros!

Tudo isso e muito mais no: www.cariricangaco.com

Produção Cariri Cangaço
O Cariri Cangaço é uma promoção da Cariri do Brasil, uma realização das prefeituras municipais de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha e Aurora, URCA/PROEX e ainda o apoio da SBEC, do ICC, do Centro Pró Memória, do ICVC, da Fundação Memorial Padre Cícero, da Associação de Cordelista de Crato, do Ponto de Cultura Lira Nordestina, do SEBRAE, do SESC e do Centro Cultural Banco do Nordeste, Geo Park Araripe , Grupo Empresarial Guanabara e Revista Nordeste VinteUM.

domingo, 25 de julho de 2010

Ingazeiras aos olhos do mundo

Luiz Domingos de Luna*
Nos umbrais do espaço tempo, já conhecida no oco do mundo, ao bloco congelado de uma história esquecida. Celeiro do cinzel, pincel do menestrel das artes plásticas, do fluxo do cotidiano ao estilo abstrato, na poeira do esquecimento de outrora, a lâmpada do gênio, duas vidas que na vírgula do tempo, o mistério dos remansos gira nos acordes da cítara no baile existencial – Aldemir Martins.
Da viola, pandeiro e violão, música brega, sertaneja, do xaxado ao samba canção ao gosto do ritmo, misturas em audição, na grandeza de um menino, ganha o forró nordestino uma nova versão – Alcimar Monteiro é também filho do nordeste, de ingazeiras, que também, é palco luz da criação.
Quando a caatinga foi devorada ao som do apito do trem, no dia 08 de dezembro 1923, sob o manto da mãe protetora – A Padroeira N.SRA Conceição- recebe pela primeira vez a máquina do progresso e do desenvolvimento – O trem.
Enquanto a fumaça da locomotiva teimava em voltar para a capital alencarina, gritava com os braços abertos as margens do salgado, ainda na bruma fresca, do cheiro potável da água salgadina, em fluidez, o grito de apelo, aos inúmeros artesãos, pintores e músicos, na seara da mistura entre o mundo material e espiritual, uma fonte jorradora ao cariri, ao sertão, ao Nordeste, sua linda aquarela, ao oco do mundo, materializar – Ingazeiras a musa de sempre no sul do Ceará, na curva do tempo, a qualquer momento, na constelação do cariri um estrala à brilhar.
(*) Professor- Aurora - Ceará
(*) Colaborador do Blog Cultura no cariri

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Colônia de Férias no Geopark Araripe


Inscrições abertas para a Colônia de Férias no Geopark Araripe


Com o tema “Venha se divertir preservando a natureza” o Geopark Araripe abre inscrições até segunda-feira, 26/07, para a primeira Colônia de Férias no Geopark Araripe. No ato da inscrição, basta um dos pais ou responsável ter R$15,00 em mãos. Alunos de escolas públicas pagam apenas meia, R$7,50. O objetivo, segundo a coordenadora, Neuma Galvão, é trabalhar com atividades que desenvolvam a coordenação motora das crianças, psicomotricidade junto ao trabalho de educação ambiental.

A colônia acontecerá de 26 a 30/07 no estande do Geopark que está montado no Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti. As atividades terão início, pela manhã, das 7h30 às 11h30 e no período da tarde das 13h30 às 17h30.

Toda a programação de férias foi desenvolvida para 40 crianças, divididas em 20 por período, com idades a partir de seis a 12 anos. As crianças terão acesso a algumas das atividades desenvolvidas pelo GA, como observação de pássaros, o contato com a natureza, com a visita ao IBAMA e o piquenique na Nascente do Crato. Na programação consta ainda apresentação de vídeos, oficinas de peteca e bonecos e contação de histórias. Cada participante receberá uma muda de planta.

As inscrições podem ser feitas na sede do Geopark, localizada na Rua Teófilo Siqueira, 754, centro, Crato-CE. Informações podem ser obtidas pelo telefone (88) 3102. 1237.

Provocação de Vizinha


Com a Bíblia e um rosário
Procurei um reverendo
E fui logo lhe dizendo
Escute aqui Seu Vigário
Ao confessionário
Há muito tempo eu não vinha
Porque motivo eu não tinha
Mas agora um me atormenta
Homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

Eu não bebo, não namoro
Também não tenho complexo
Mas esssa história de sexo
Me perdoe, Padre, eu adoro!
E lá na rua que eu moro
Mora uma comadre minha
Do juízo de galinha
E a trazeira de jumenta
E homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

No altar da Santa Madre
Não nego os pecados meus
Seu Padre, eu pensava em Deus
Agora é só na comadre
Precisa ver Seu Padre
Como é que ela caminha
E no banco da pracinha
O jeito que ela se senta
E homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

A mulher é tão faceira
Que quando chega na praia
Tira a blusa, tira a saia
E se escorna numa cadeira
Uma perna em Mangabeira
Outra lá em Camboinha
E é nessa brincadeirinha
Que o caboclo se arrebenta
Homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

Entre as casas minha e dela
Há uma meia parede
E igual a um touro com sede
Ontem eu espiava ela
Ela chegou na janela
Esticou uma cordinha
E estendeu uma calcinha
Roçando na minha venta
Homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

O Padre ai perguntou:
- E ela tem as pernas grossas?
- Dão três ou quatro das nossas
Seu Vigário, já pensou?
A pele é um bibelô
Nunca nasceu uma espinha
Todos desejam a boquinha
Dos seus lábios de polenta
E homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

O padre fez um sorriso
E falou com água na boca:
Vou confessar essa louca
E vou com ela ao Paraíso
Diga a ela que eu preciso
Falar com ela a noitinha
Ela me espere sozinha
Que eu chego às doze e quarenta
Que homem fraco não aguenta
Provocação de vizinha

E você, seu deletério
Seu maniaco, tarado!
Vá rezar ajoelhado
No portão do cemitério
Pra cada santo um mistério
E uma salve rainha
E a cada ladainha
Acenda uma vela benta
Que depois você aguenta
Provocação de vizinha


Veja também:
O Plantador de Milho
(Daudeth Bandeira)
 
fonte:http://culturanordestina.blogspot.com

QULOMBOLA CAFUNDÓ PRESERVA A TRADIÇÃO.

Um ritual criado há 120 anos une a religião católica e a cultura quilombola, numa comunidade de descendentes de escravos, em Salto de Pirapora, no interior de São Paulo. A festa que celebra a preservação da cultura negra, tem procissão, capoeira e muita dança.
Os últimos raios de sol se perdem no horizonte, e a noite que se aproxima abre espaço para a cultura de um povo. No quilombo Cafundó, em Salto de Pirapora, a tradição está nos pés das novas gerações que aprendem sobre o passado. O jongo era uma dança que os negros faziam nas senzalas, tantos nos momentos tristes, como os de alegria. A capoeira, outra dança que chegou com os escravos, também está presente nessa grandiosa festa.
A todo momento as tradições africanas são preservadas nesta comunidade, que surgiu em 1876, doze anos antes da abolição da escravatura. Naquela época, um fazendeiro da região, libertou 12 de seus escravos e doou algumas de suas  terras, foi o que deu origem a  essas duas famílias que vivem hoje no Cafundó. Atualmente, este quilombo tem 105 moradores, descendentes de africanos e das duas familias que chegaram aqui.
A religião também é relevante nesta cultura, e a celebração mais importante da comunidade é a festa dos padroeiros São Benedito e Nossa Senhora Aparecida. A procissão tem início, e a caminhada é pelas ruas de terra da comunidade. As velas são a única iluminação: homens carregam o andor de São Benedito e andam até a casa mais distante do povoado.
As mulheres saem depois, e carregam a imagem de Nossa Senhora Aparecida. A procissão vai por um outro ponto, onde param a espera, em oração e cantos, a volta dos homens.
A procissão termina na capela da comunidade, quando as imagens dos santos são colocadas no altar. As velas levadas pelos devotos, ficam junto à santa cruz. Logo começa a celebração.

Mais um ano de demonstração de fé. 
A tradição foi mantida.

fonte:http://silnunesprof.blogspot.com/
Blog que recomendo, maravilhoso, completo!

Grande artista da região do Cariri: Elson


Mestre da madeira!

LOUCURAS DE AMOR

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Os desenhos do Christian Pierini

Membro da banda Black Dog, cover oficial do Led Zepellin, Christian é músico e desenhista, um verdadeiro artista, nos deu o prazer da sua visita na nossa terrinha, essa é minha homenagem à uma das pessoas mais admiráveis que conheci, a banda inteira é muito engajada com arte e cultura, espero em breve ter o prazer de revê-los!

ECAD É PROCESSADO


informe :

Ecad é processado por monopolizar preços dos direitos autorais

17/07/2010 |
Redação*
Portal Vermelho

A Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça instaurou, nesta sexta-feira (16), processo administrativo por formação de cartel contra o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), órgão responsável pelo recolhimento e repasse dos direitos autorais de músicas no Brasil.

A Lei 9.610/98, conhecida como Lei do Direito Autoral, confere ao Ecad o monopólio para arrecadação e distribuição dos valores relativos à execução pública dos direitos autorais. Os titulares dos direitos autorais podem fixar os valores para a execução pública de suas obras individualmente ou por meio de associações. No modelo vigente hoje, as associações fixam os valores dos direitos em conjunto, e não de forma individual.

Para a secretária de Direito Econômico, Mariana Tavares, o modelo de gestão coletiva dos direitos autorais conferiu ao Ecad o monopólio legal sobre as atividades de arrecadação e distribuição de valores, mas não sobre a atividade de fixação desses valores. “Deve haver livre concorrência na formação desses preços. A sociedade brasileira está pagando muito caro pela execução de músicas e isso prejudica a difusão da cultura”, frisou.

O processo foi instaurado a partir de denúncia apresentada pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) contra o Ecad. Segundo a denúncia, a fixação conjunta dos valores a serem cobrados pela execução pública das obras tem como resultado a cobrança de valores indiscriminados e abusivos, o que deixa os devedores desses direitos (as operadoras de televisão aberta e por assinatura, rádios, consumidores que organizam festas de casamento), sem opção.

Outro problema denunciado pela ABTA é a criação de mecanismos para impedir e dificultar a entrada de novas associações, mantendo desta forma, o suposto “cartel” em funcionamento.

De acordo com a SDE, a atividade de fixação dos valores dos direitos autorais é potencialmente competitiva e a concorrência entre as associações para a definição de preços diferenciados deve ser estimulada.

Consultado pela SDE sobre o tema, o Ministério da Cultura afirmou que o fato de a lei estabelecer que a arrecadação tenha que ser única, não significa que os valores cobrados por repertório tenham que ser os mesmos. Por exemplo: uma das associações poderia requerer ao Ecad que fizesse a cobrança de seu repertório com valores diferentes do das outras associações, ainda que realizada de forma conjunta, de forma que os usuários dessem preferência ao seu repertório, ao invés do repertório das outras associações, iniciando-se a competição por preços.

Seminário - Na próxima segunda-feira (19), a Lei de Direitos Autorais será tema do seminário “Direito Autoral: um debate com toda a sociedade”, promovido em São Paulo pelo Idec. O evento que terá a presença da diretora do Departamento de Proteção e Defesa Econômica, Ana Paula Martinez, acontece das 9h às 19h30, no Tucarena - Teatro Arena da PUC.

Mais informações no site do Idec.

"CAMARÃO QUE DORME A ONDA LEVA"
O BARATO DA VIDA É VIVER

terça-feira, 20 de julho de 2010

ATENÇÃO - Não Perca !!! - Quinta-Feira dia 22 de Julho - CONCERTO - Dihelson Mendonça - O Dom da Música - Teatro Rachel de Queiroz - Crato - CE



Concerto de Piano 400 - Dihelson Mendonça

Em uma carreira musical de mais de 30 anos devotada à música, e considerado um dos grandes pianistas Brasileiros, o tecladista/arranjador/compositor Dihelson Mendonca, nascido em Crato-CE em 1966, já demonstrou o seu talento, tocando lado a lado com os maiores nomes da música Instrumental brasileira, tais como: Hermeto Pascoal, Gilson Peranzzetta, Mauro Senise, Arismar do Espírito Santo, Luciano Franco, Toninho Horta, Vinícius Dorin (Saxofonista), André Marques, Itiberê Swarg (Baixista) , Márcio Bahia (Baterista), Beto Batera ( Irmão do Carlos Bala - baterista ), Carlinhos Patriolino, Márcio Resende, Nenê (Baterista), Fátima Santos (cantora), Lia Chaves (cantora), João Senna ( Sax ), Ricardo Júnior (Pianista e Arranjador da cantora Dóris Monteiro), Cleivan Paiva (Guitarrista com quem mantém um dueto de Jazz), dentre muitos outros. Enormemente aclamado por onde tem passado, Dihelson Mendonca possui um estilo eclético e virtuoso, que de imediato cativa a platéia. Compositor de cunho erudito e profundo pesquisador da música pianística, considera-se principalmente um pianista de Jazz, embora em seus concertos, execute frequentemente obras eruditas, de Bach à Stravinsky, e em especial, Frederic Chopin.

FORMAÇÃO MUSICAL

Dihelson Mendonça iniciou seus estudos de piano clássico na Sociedade de Cultura Artística de Crato-CE ( SCAC ), com a professora Diana Pierre no início dos anos 80. Com raro talento, dsenvolveu rapidamente, e aprendeu a tocar em apenas 3 anos de estudo, peças de enorme dificuldade técnica. Concentrou-se nos românticos, principalmente Chopin. A descoberta do Jazz deu-se por essa época, (1982) ao descobrir por um acaso, um disco do pianista Oscar Peterson, gravado pela “Rádio Canadá Internacional”. “Depois disso nada foi como antes!”, afirma o músico. Em seguida iniciou-se uma grande peregrinação para compreender a sua nova paixão: O JAZZ ! Pelo fato de em sua cidade natal as possibilidades de estudo de Jazz eram escassas, resolveu estudar por conta própria todo o tipo de material relacionado ao estilo, desde trascrições que fazia à partir de discos e fitas, a livros variados e revistas sobre Jazz, como a DownBeat.

Por volta de 1984, chegou a cursar a Universidade Federal da Paraíba, no curso de Engenharia Eletrônica em Campina Grande, mas, o seu amor pela música tocou mais alto, e Dihelson abandonou sua futura carreira de Engenheiro Eletrônico para se dedicar exclusivamente ao Piano. Nessa época, já com sólido embasamento musical e sob influência de músicos modernos como Chick Corea, Bill Evans e Keith Jarrett, formou com o guitarrista paraibano Jocel Fechine e mais quatro integrantes, o seu primeiro sexteto, do qual participaram alguns dos maiores nomes do Jazz do nordeste: Jocel Fechine à guitarra, Fernando Rangel baixista ( músico renomado, e hoje, integrante do grupo Contrabanda do Recife), Fernando trompete, Sérgio Manfredo ao Saxofone, e o grande baterista Giovanni. Esse grupo foi a "sensação" do departamento de Artes DART da UFPB em Campina Grande em 1985/86 onde realizava seus periódicos concertos.

Ainda por essa época, assombrou os alunos da Universidade Federal da Paraíba em João Pessoa, ao se apresentar com o guitarrista Jocel Fechine num concerto-surpresa. Em Campina Grande, estudou com diversos professores, dentre eles, o Prof. Otávio, que havia sido aluno do grande gênio francês Pierre Boulez, considerado um dos pilares da música moderna do século XX.

À partir de 1986 , abandonou de vez a Universidade e tornou-se autodidata, por achar que as universidades brasileiras não continham o estudo musical de que necessitava. Tratou de continuar a sua peregrinacão intensa por livros, discos, e toda espécie de material de pesquisa de Jazz e música contemporânea que persiste até os dias de hoje. Ainda em 1986, firmou seu “Quartel-General” em Crato, sua terra natal, onde formou o primeiro grupo da região especialmente dedicado ao Jazz: O "Cariri Samba-Jazz Quartet" que foi motivo de várias entrevistas em diversos jornais e revistas cearenses. Após o "CSJQ", Dihelson Mendonça se concentrou em seu aperfeiçoamento musical, como professor de Piano, Harmonia de Jazz e improvisação na “Sociedade de Cultura artística de Crato” (SCAC), em 1987, além de gravações em estúdio. No entanto, nunca interrompeu as suas apresentações para convidados seletos que apreciam a música clássica, ou em festivais de MPB, desde Manaus, a Porto Alegre, onde, em 1991, por ocasião do Festival Nacional dos Economiários, participando como arranjador numa música da autoria de Pachelly Jamacaru, o fez ganhar o prêmio de melhor arranjo do festival. Em Porto Alegre, se apresentou informalmente na conceituada sala Tom Jobim, para um público seleto, que o aplaudiu veementemente, então com 24 anos de idade. Em 1989, apresentou-se em Fortaleza com os excelentes músicos Brasileiros Gilson Peranzzetta, e Mauro Senise, que já lhe advertiam de que deveria deixar o Ceará o quanto antes e fazer vôos mais altos, coisa que sempre recusou a fazer.

INFLUÊNCIAS

Dihelson Mendonça diz que tudo lhe serve de influência, de Bach à Hermeto Pascoal, passando até pelos “Irmãos Aniceto” (grupo de pífaros local), mas, é inegável que se ouve em sua música um forte sotaque de Chopin, Liszt, Ernesto Nazareth e até Stravinsky. Ainda devem ser mencionados como principais influências os músicos: Chick Corea, Bill Evans, Herbie Hancock, Keith Jarrett, Claire Fischer, Hermeto Pascoal e Debussy, dentre muitos outros.

O ARRANJADOR:

À partir de 1986 começou a se dedicar ao trabalho de arranjador, tendo trabalhado em dezenas de CDs. Produziu e dirigiu todos os CDs do também artista cratense Pachelly Jamacaru. Foi o diretor musical de inúmeros shows locais, tais como "Soy Loco por Ti América Latina" de Luiz Carlos Salatiel, que teve grande impacto de público e de crítica. Em 1997 foi a Nova York, numa espécie de peregrinação musical, onde tratou de contactar grandes nomes do Jazz, e chegou a fazer amizade com o grande pianista da República Dominicana, Michel Camilo, considerado um dos maiores pianistas de Latin-Jazz da atualidade, além de contactar o grande saxofonista Joe Henderson, e o legendário pianista de Jazz Mccoy Tyner. Ainda em 1997, formou um grupo de Jazz com o baterista fortalezense Denilson Lopes, e o contrabaixista Jerônimo Neto.

Dihelson Mendonça já integrou por diversas vezes grupos que se apresentaram no projeto "BEC - Seis e Meia" em Fortaleza, bem como promoveu WorkShop de Piano-Jazz realizado na UECE (Universidade Estadual do Ceará) em 1998. Em 1999, montou seu próprio estúdio de gravações profissionais na região do Cariri cearense, o DMSTUDIO, que é ponto de referência nas gravações de teor cultural da região. Também como arranjador, trabalhou como diretor musical e arranjador do segundo CD do compositor Pachelly Jamacaru em 1999.

GUARAMIRANGA & CIA

Participou por diversas vezes do “FESTIVAL DE JAZZ & BLUES de GUARAMIRANGA”, muitas vezes com seu próprio grupo, do qual figuraram nomes como: Luizinho Duarte (baterista do grupo Marimbanda), “David Alexander Krebs” o “Alemão”, Ricardo Leite (baixista), Denilson Lopes, Jerônimo Neto, e também como integrante de grupos de diversos artistas locais de renome, tais como Márcio Resende (Sax), e Luciano Franco (baixista, e compositor). Também, no mesmo festival, tocou no show de Toninho Horta e Arismar do Espírito Santo, onde fez uma das mais aclamadas apresentações na história do festival. Em 2001/2002 Dihelson trabalhou em diversos projetos de CDs de outros artistas, inúmeras apresentações com os novos duetos com o saxofonista Márcio Resende, o grande bandolinista Carlinhos Patriolino, e o promissor saxofonista Felipe Oliveira, além de trabalhar em suas próprias composições e projetos.

Em 2003, entrou num processo de reclusão e pesquisa, para se dedicar exclusivamente à composição e ao aperfeiçoamento pianístico. Adquiriu grande quantidade de partituras da literatura pianística universal e se dedicou à pesquisa, ao estudo, e à escrita musical. Em setembro de 2003 realizou um grande projeto: voltou ao palco e se apresentou no CCBN (Centro cultural Banco do Nordeste) , em Fortaleza - CE, executando exclusivamente obras de FREDERIC CHOPIN. No Ano Anterior, havia se apresentado no mesmo local, com um tributo ao gênio Hermeto Pascoal, e ainda no mesmo local, em Setembro de 2004 fez grande apresentação com seu "Tributo à BILL EVANS", apresentando os grandes "hits" do grande gênio do Jazz Piano. Ainda em Fevereiro de 2004 se Apresentou pela 5a vez no Festival de Jazz de Guaramiranga, desta feita com uma superbanda em "Tributo à Chick Corea". Ganhou o prêmio Nelson's em 2003 de Melhor Tecladista do Ano! - Tem se apresentado regularmente pelo Centro Cultural Banco do Nordeste em numerosos concertos, bem como do SESC.

O COMPOSITOR

Como compositor, Dihelson Mendonça é bastante eclético: possui mais de 150 composições Jazzísticas e populares (Sambas, Choros, Bossas, Baiões, Frevos ), e muitas parcerias com outros compositores, tais como Haroldo Ribeiro, e Luciano Franco, e tem se dedicado também ao campo erudito, tendo já composto várias peças nesse sentido, que vão desde estudos para piano, prelúdios, valsas, choros, e peças de caráter improvisatório a serem publicados. Neste específico setor, suas influências principais são: Bach, Bartok, Liszt, Stravinsky, Beethoven, Chopin,e Debussy. Também tem se dedicado a um enorme projeto chamado "Projeto Chopin", já em andamento , que consiste numa série de Concertos apresentando diversas das principais peças do compositor polonês juntamente com suas próprias composições e “paráfrases” , ao final da qual, pretende registrar em CD; Nas suas próprias palavras, “Sou pianista de Jazz por opção, mas também, sou um músico erudito de coração, e creio que os dois estilos para mim, se complementam. O músico nunca será completo sem conhecer e compreender as raízes da música e/ou as suas vertentes”.

2009 – Dihelson Mendonça acaba de gravar com patrocínio exclusivo do Banco do Nordeste, o seu primeiro CD Autoral intitulado “A Busca da Perfeição”.

REFERÊNCIAS:

“O Dihelson, é um “cabra danado”, improvisa pra “danar”, é o repentista dos Teclados!”

Hermeto Pascoal

“O Dihelson Mendonça está entre os 10 (ou 5) melhores pianistas do Brasil. Sou seu fã.”

Vinícius Dorin – Saxofonista. Hermeto pascoal

“Ele (Dihelson) , está pronto pra tocar em qualquer lugar do Mundo!! “

Wilson Curia – Pianista e Prof. Música. ( considerado Um mestre dos Pianistas Brasileiros )

“Um dos maiores músicos do mundo”

Cleivan Paiva

“Um dos maiores músicos com quem já toquei”

Márcio Resende - Saxofonista

“O Dihelson toca legal pra caramba!”

Arismar do Espírito Santo – Músico.

“Ele toca Jazz como os nativos tocam...”

Edison Távora – Tecladista

“O maior músico do Ceará”

Haroldo Ribeiro - Compositor

CONTATOS:
Visite os websites oficiais:
www.dihelson.com
www.dihelson.blogspot.com

SERVIÇO: O Concerto para Piano "O Dom da Música", de Dihelson Mendonça, faz parte das comemorações do lançamento do Livro "Cariricaturas em Verso e Prosa", da revista eletrônica Cariricaturas, que se estende do dia 22 ao dia 24 de Julho em Crato.

No Repertório, peças de Bach, Mozart, Chopin, Beethoven, Pixinguinha, Zequinha de Abreu, além de Composições e Arranjos do próprio artista sobre temas populares, consagrados pelo público.

Local do Concerto: Teatro Rachel de Queiroz - Crato - CE
Data: 22 de Julho, Quinta-Feira, 20 horas
Entrada Franca

A PARTE CULTURAL DA EXPOCRATO!

Mesmo sufocado, o palco da URCA aconteceu esse ano graças ao empenho de pessoas engajadas com a cultura, exemplo de alguns deles:
Carlos Salatiel
Fatinha Gomes
Alexandre Lucas
André "Canelão"
Alguns shows registrados:



ABIDORAL JAMACARU
LIBERDADE E RAIZ

I

CANTORAS DO CARIRI:
ARICE, FATINHA, AUCI VENTURA E JANINHA

MICHEL E A BANDA HOLLYWOOD

LIFANCO, GRANDE MÚSICO, ARRANJADOR E COMPOSITOR DO CARIRI

RODRIGO BATERA


CARLOS SALATIEL, ATIVISTA CULTURAL  E ARTISTA

QUARTO FESTIVAL DE DANÇA DO LITORAL OESTE

Festival reúne diferentes linguagens da dança no litoral oeste cearense entre 22 e 24 de julho
Uma diversidade de ritmos e manifestações culturais será celebrada entre os dias 22 e 24 de julho, quando será realizado o IV Festival de Dança do Litoral Oeste. O Evento, que terá como palco os municípios de Paracuru, Trairi e Itapipoca, oferecerá ações que perpassam por diversas linguagens da dança. Apresentação de ritmos como dança popular, de salão, contemporânea, entre tantas outras, tornarão o Festival um espaço de troca de saberes e fazeres em dança.

O Festival recebe espetáculos de dança com foco na produção cearense, mas recebendo também companhias de outros Estados do Brasil e de Cabo Verde, com quem o Ceará estabeleceu conexão artística recente, por meio da Bienal de Dança. Estas apresentações acontecem em espaços públicos dos três municípios da região do Vale do Curú, que já há alguns anos desenvolvem ações significativas em torno dessa linguagem e que tem demonstrado ser a dança uma das principais vocações artísticas da região. Além disso, contará com atividades de formação, tais como residência coreográfica, oficinas de dança, palestras, mesas redondas, mostra de vídeo-dança, entre outras, direcionadas tanto a estudantes e profissionais da área, quanto à população em geral. As atividades serão gratuitas.

Além de se propor como um ponto de encontros e trocas de informações, a ação cultural objetiva contribuir para o fortalecimento artístico da região, valorizando as produções do Ceará e contribuindo na formação de platéias para a dança. “Nesse contexto, a dança cênica na Região tem ocupado um papel de destaque entre as demais linguagens artísticas não somente pela qualidade e diversidade da produção, mas também pela força das iniciativas que contribuem para o seu fortalecimento. Seu poder de mobilização social é capaz de articular os agentes culturais de toda região, no sentido de transformar a realidade social e cultural dos seus municípios, criando uma cadeia produtiva sustentável, indutora de desenvolvimento local”, aponta Clerton Martins, presidente da Associação dos Bailarinos, Coreógrafos e Professores de Dança do Ceará (Prodança), promotora do Festival.
Para a definição da programação de espetáculos e as oficinas do Festival, foi mantido um diálogo entre a Prodança e representantes das três cidades sedes do evento, que juntos formaram a curadoria desta edição. “Uma característica que sempre marcou este evento é a participação das entidades que reúnem os profissionais da Dança em cada cidade pólo da região. Em 2010, Itapipoca está na presença de Gerson Carlos, da Cia. Balé Baião; em Trairi a representação é de Antonio Alves; e em Paracuru a curadoria conta com Flávio Sampaio”, destaca a Profª. Graça Martins, curadora do Festival pela Prodança.
Desta forma, pelo quarto ano o Festival de Dança Litoral Oeste cumpre com seu papel formativo, já tendo realizado, em parcerias com instâncias públicas, mais de 40 oficinas preparatórias e seguindo com mais nove oficinas durante o evento.
A mudança do período do Festival para o mês de julho, que aconteceu em 2009, também permite que além do público da região, turistas de outros Estados e países também conheçam o trabalho das companhias de dança do Ceará. A Média de público estimado é de três mil pessoas por dia, em cada cidade-sede.

Jota Júnior Santos

Produção e Divulgação de Arte e Cultura


55 88 9981 7700

55 85 8635 0299 - 9980 8116
eu_jotajunior@hotmail.com - twitter.com/jotajuniorsts

EntrePontos no Cariri

quinta-feira, 15 de julho de 2010

CONCERTO: Dihelson Mendonça- O dom da música- dia 22 de julho no teatro Rachel de Queiróz- Crato Ceará.

Em uma carreira musical de mais de 30 anos devotada à música, e considerado um dos grandes pianistas Brasileiros, o tecladista/arranjador/compositor Dihelson Mendonca, nascido em Crato-CE em 1966, já demonstrou o seu talento, tocando lado a lado com os maiores nomes da música Instrumental brasileira, tais como: Hermeto Pascoal, Gilson Peranzzetta, Mauro Senise, Arismar do Espírito Santo, Luciano Franco, Toninho Horta, Vinícius Dorin (Saxofonista), André Marques, Itiberê Swarg (Baixista) , Márcio Bahia (Baterista), Beto Batera ( Irmão do Carlos Bala - baterista ), Carlinhos Patriolino, Márcio Resende, Nenê (Baterista), Fátima Santos (cantora), Lia Chaves (cantora), João Senna ( Sax ), Ricardo Júnior (Pianista e Arranjador da cantora Dóris Monteiro), Cleivan Paiva (Guitarrista com quem mantém um dueto de Jazz), dentre muitos outros. Enormemente aclamado por onde tem passado, Dihelson Mendonca possui um estilo eclético e virtuoso, que de imediato cativa a platéia. Compositor de cunho erudito e profundo pesquisador da música pianística, considera-se principalmente um pianista de Jazz, embora em seus concertos, execute frequentemente obras eruditas, de Bach à Stravinsky, e em especial, Frederic Chopin.

FORMAÇÃO MUSICAL

Dihelson Mendonça iniciou seus estudos de piano clássico na Sociedade de Cultura Artística de Crato-CE ( SCAC ), com a professora Diana Pierre no início dos anos 80. Com raro talento, dsenvolveu rapidamente, e aprendeu a tocar em apenas 3 anos de estudo, peças de enorme dificuldade técnica. Concentrou-se nos românticos, principalmente Chopin. A descoberta do Jazz deu-se por essa época, (1982) ao descobrir por um acaso, um disco do pianista Oscar Peterson, gravado pela “Rádio Canadá Internacional”. “Depois disso nada foi como antes!”, afirma o músico. Em seguida iniciou-se uma grande peregrinação para compreender a sua nova paixão: O JAZZ ! Pelo fato de em sua cidade natal as possibilidades de estudo de Jazz eram escassas, resolveu estudar por conta própria todo o tipo de material relacionado ao estilo, desde trascrições que fazia à partir de discos e fitas, a livros variados e revistas sobre Jazz, como a DownBeat.

Por volta de 1984, chegou a cursar a Universidade Federal da Paraíba, no curso de Engenharia Eletrônica em Campina Grande, mas, o seu amor pela música tocou mais alto, e Dihelson abandonou sua futura carreira de Engenheiro Eletrônico para se dedicar exclusivamente ao Piano. Nessa época, já com sólido embasamento musical e sob influência de músicos modernos como Chick Corea, Bill Evans e Keith Jarrett, formou com o guitarrista paraibano Jocel Fechine e mais quatro integrantes, o seu primeiro sexteto, do qual participaram alguns dos maiores nomes do Jazz do nordeste: Jocel Fechine à guitarra, Fernando Rangel baixista ( músico renomado, e hoje, integrante do grupo Contrabanda do Recife), Fernando trompete, Sérgio Manfredo ao Saxofone, e o grande baterista Giovanni. Esse grupo foi a "sensação" do departamento de Artes DART da UFPB em Campina Grande em 1985/86 onde realizava seus periódicos concertos.

Ainda por essa época, assombrou os alunos da Universidade Federal da Paraíba em João Pessoa, ao se apresentar com o guitarrista Jocel Fechine num concerto-surpresa. Em Campina Grande, estudou com diversos professores, dentre eles, o Prof. Otávio, que havia sido aluno do grande gênio francês Pierre Boulez, considerado um dos pilares da música moderna do século XX.

À partir de 1986 , abandonou de vez a Universidade e tornou-se autodidata, por achar que as universidades brasileiras não continham o estudo musical de que necessitava. Tratou de continuar a sua peregrinacão intensa por livros, discos, e toda espécie de material de pesquisa de Jazz e música contemporânea que persiste até os dias de hoje. Ainda em 1986, firmou seu “Quartel-General” em Crato, sua terra natal, onde formou o primeiro grupo da região especialmente dedicado ao Jazz: O "Cariri Samba-Jazz Quartet" que foi motivo de várias entrevistas em diversos jornais e revistas cearenses. Após o "CSJQ", Dihelson Mendonça se concentrou em seu aperfeiçoamento musical, como professor de Piano, Harmonia de Jazz e improvisação na “Sociedade de Cultura artística de Crato” (SCAC), em 1987, além de gravações em estúdio. No entanto, nunca interrompeu as suas apresentações para convidados seletos que apreciam a música clássica, ou em festivais de MPB, desde Manaus, a Porto Alegre, onde, em 1991, por ocasião do Festival Nacional dos Economiários, participando como arranjador numa música da autoria de Pachelly Jamacaru, o fez ganhar o prêmio de melhor arranjo do festival. Em Porto Alegre, se apresentou informalmente na conceituada sala Tom Jobim, para um público seleto, que o aplaudiu veementemente, então com 24 anos de idade. Em 1989, apresentou-se em Fortaleza com os excelentes músicos Brasileiros Gilson Peranzzetta, e Mauro Senise, que já lhe advertiam de que deveria deixar o Ceará o quanto antes e fazer vôos mais altos, coisa que sempre recusou a fazer.

INFLUÊNCIAS

Dihelson Mendonça diz que tudo lhe serve de influência, de Bach à Hermeto Pascoal, passando até pelos “Irmãos Aniceto” (grupo de pífaros local), mas, é inegável que se ouve em sua música um forte sotaque de Chopin, Liszt, Ernesto Nazareth e até Stravinsky. Ainda devem ser mencionados como principais influências os músicos: Chick Corea, Bill Evans, Herbie Hancock, Keith Jarrett, Claire Fischer, Hermeto Pascoal e Debussy, dentre muitos outros.

O ARRANJADOR:

À partir de 1986 começou a se dedicar ao trabalho de arranjador, tendo trabalhado em dezenas de CDs. Produziu e dirigiu todos os CDs do também artista cratense Pachelly Jamacaru. Foi o diretor musical de inúmeros shows locais, tais como "Soy Loco por Ti América Latina" de Luiz Carlos Salatiel, que teve grande impacto de público e de crítica. Em 1997 foi a Nova York, numa espécie de peregrinação musical, onde tratou de contactar grandes nomes do Jazz, e chegou a fazer amizade com o grande pianista da República Dominicana, Michel Camilo, considerado um dos maiores pianistas de Latin-Jazz da atualidade, além de contactar o grande saxofonista Joe Henderson, e o legendário pianista de Jazz Mccoy Tyner. Ainda em 1997, formou um grupo de Jazz com o baterista fortalezense Denilson Lopes, e o contrabaixista Jerônimo Neto.

Dihelson Mendonça já integrou por diversas vezes grupos que se apresentaram no projeto "BEC - Seis e Meia" em Fortaleza, bem como promoveu WorkShop de Piano-Jazz realizado na UECE (Universidade Estadual do Ceará) em 1998. Em 1999, montou seu próprio estúdio de gravações profissionais na região do Cariri cearense, o DMSTUDIO, que é ponto de referência nas gravações de teor cultural da região. Também como arranjador, trabalhou como diretor musical e arranjador do segundo CD do compositor Pachelly Jamacaru em 1999.

fonte: http://blogdocrato.blogspot.com

Imperdível!!!!

Nessa época em que atrações de certos eventos nos deixam ocos, nada melhor do que encher o coração de algo alternativo. Talvez sejamos os bregas e ultrapassados, como hoje julgamos os de gerações passadas, mas enquanto ninguém chega a algo definitivo vamos em busca do que nos faz felizes e pensar...
PROJETO ARTE RETIRANTE - VITORIANO: "POR TRÁS DASNUVENS NEGRAS"
Vitoriano, ex-vocalista e compositor da banda Alegoria da Caverna, apresenta seu trabalho solo e lança seu CD intitulado "Por trás das nuvens negras". Influenciado por cancioneiros e poetas ditos malucos, sua música crua e intimista deve ser apreciada por pessoas ousadas e curiosas.
22 DE JULHO DE 2010 ÀS 20h
TETRO DO SESC CRATO ADALBERTO VAMOZI
ENTRADA FRANCA.
23 de JULHO DE 2010 ÀS 19:30h
CCBNB-CARIRI
P.S. Não haverá cambistas kkk

quarta-feira, 14 de julho de 2010

FESTIVAL CARIRI DA CANÇÃO

A Prefeitura Municipal do Crato, através da Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude inicia hoje as inscrições do Festival Cariri da Canção Estudantil 2010. O evento de natureza educativa, artística e cultural acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de Outubro desse ano. As fichas de inscrições e o Edital serão disponibilizados no site da Prefeitura do Crato, www.crato.ce.gov.br e na sede da Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude a rua Teopisto Abath no Centro Cultural do Araripe, no Largo da RRFSA.

Poderão participar do Festival, estudantes do Ensino Médio, Cursinhos Pré-vestibulares, Cursos Técnicos e Universitários regularmente matriculados na rede de ensino da região Metropolitana do Cariri (Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Caririaçu, Farias Brito, Jardim, Nova Olinda, Missão Velha e Santana do Cariri).


O Festival da Canção Estudantil 2010, visa entre outras coisas fortalecer os elos da Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude do Crato, as unidades Escolares e Universitárias, através da relação pautada na produção artística e na mobilização da comunidade estudantil, bem como estimular a promoção de um ambiente educativo prazeroso e lúdico, no qual a cultura, a arte e a educação se expressem em uma mesma ação, contribuindo para transformar o universo estudantil em um espaço vivo e significativo para os jovens.

Mais informações 88 3523-2365.

CANTA CEARÁ

terça-feira, 13 de julho de 2010

Flauberto Gomes no Palco Mp3

foto: Flavio Gomes

Gostaria muito de compartilhar com todos as novas músicas que estou compondo!
Palco MP3:
palcomp3.com/flaubertogomes/
Um grande abraço a todos!

tábua de pirulito na expocrato!

É criançada, nessa sexta feira, 16 de julho às 18:30, no palco do Geopark URCA!
Vamos lá fazer a festa!

Eu quero é rock!

Festa de lançamento do Livro "CRATO TÊNIS CLUBE" - Dia 15, 20 Horas - Por: Diana Pierre


Uma Viagem Nostálgica aos Anos Dourados do CRATO TÊNIS CLUBE.

Com um Cocktail e um Baile Dançante animado por Hugo Linard e seu Conjunto, será realizado no salão do Crato Tênis Clube nesta quinta-feira dia 15 de Julho, o lançamento de um dos mais importantes livros do ano, sobre a História, as Histórias, e Depoimentos sobre o mais importante Clube da Sociedade Cratense. O livro foi escrito por mais de 20 pessoas, que compartilham relatos acerca dos grandes bailes, carnavais, Reveillons, curiosidades e outros fatos pitorescos que aconteceram no Crato Tênis Clube nas décadas de 50, 60 e 70. A entrada custa R$ 20,00 e dá direito a receber um exemplar do livro. São esperadas mais de 500 pessoas no evento. Vale salientar que este livro é coordenado pelo mesmo grupo que lançou no ano passado, o já famoso "ANOS DOURADOS - PRAÇA SIQUEIRA CAMPOS". No dia 14, amanhã, haverá uma homenagem da banda municipal na Praça Siqueira Campos, às 19h.

Prestigie!
Compareça ao Crato Tênis Clube nesta Quinta-feira dia 15 de Julho, e se delicie com o Cocktail, com o baile, reveja os velhos amigos dos Anos Dourados do Crato Tênis Clube !

Fonte: Diana de Albuquerque Pierre
Foto: Diana Pierre - Por: Dihelson Mendonça
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...