quarta-feira, 30 de junho de 2010

O Nascimento da Consciência Ecológica

O Nascimento da Consciência Ecológica
Luiz Domingos de Luna*
deuteronomioarte@ig.com.br
O cheiro dos seres humanos é algo muito forte, via de regra, usamos os nossos sentidos como janelas para o mundo individual, de fato, a silhueta do homo sapiens corrobora para a o egocentrismo do nosso ser, nós somos meros captadores e consumidores de meio externo, porém, não há uma preocupação com a natureza, até parece, que esta despreocupação está timbrada no nosso DNA, em prosseguimento, as formas sociais vão desenhando o espaço pensamental de cada um, pois, vive-se numa eterna fábrica de seres humanos, ou desumanos, o circulo cultural permeado, tem um potencial modificador, capaz inclusive, de mascarar o direcionamento biológico na conspiração cotidiana de destruição do espaço, ao custo de reclames da mãe natureza, a chorar eternamente em berço esplêndido. Por enquanto e até quando?O Contrato Social é a base, ou motor primeiro, para a harmonia do homem no espaço tempo, vez que, um contrato obsoleto cria sempre a preocupação com o substrato dos seres humanos na fixação no planeta terra, masmorras para sociedade, ou presilhas inoportunas, que inviabilizam a harmonia na floresta humana e, na maioria das vezes, um deserto árido para o meio ambiente.O Nascimento pleno da consciência ecológica nasce, quando o ser humano for capaz de colocar a sua objetiva para o mundo exterior, observar a paisagem existencial geográfica, observar que o disforme ecológico, é uma coletânea dos disformes individuais e sociais, a elasticidade do tempo, esta geléia vai ganhando corpo, solidez e unicidade. É este monstro que assusta a sociedade e a coletividade humana como um todo - O Homem como o centro de destruição do planeta terra. Falta ao ser humano o pigmento radioativo do bem comum, em todas as suas dimensões, desde o menor tecido sociológico ao maior.
Desde o mais frágil ecossistema(...) Enquanto não existir uma conscientização de contrato social que dê a legitimidade, a legalidade as inúmeras espécies que formam a variante do conjunto da totalidade, do todo em partes, da biodiversidade existencial, das forças internas presente em cada um, para a disposição, da aptidão do estar sempre a serviço do bem comum e, do crescimento com sustentabilidade ecológica, por que no final das contas, somos a massa humana planetária em movimento, num carrossel giratório, na roldana deste tapete tortuoso – todo planeta sofre, se abala e chora.
(*) Professor- Aurora -Ceará
(*) Colaborador do blog Cultura no Cariri

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Reggae

Poesia: Beijando a fita da viola de "Preto Limão"

(1895-1969), Poeta, Jornalista e Escritor potiguar, inserto na sua “Obra Reunida”, no prelo em 2010, organizada e anotada por Laélio Ferreira, seu filho).

“No alpendre de Dona Santa,
Preto Limão(*) cospe e canta,
num tom de bravura e dó…
Mistral de chapéu-de-couro,
teu verso é uma prima de ouro,
na viola do Seridó!

– Negro velho escopeteiro,
louve aqui meu companhero,
poeta que vem mais eu!
Retruca o Homero tisnado:
– Você traz um convidado,
que é tomém amigo meu!

– Pruquê abasta tê vindo
mais você! Seu moço, eu brindo
vossa entrada no lugá.
Não tem fulôres agora,
mas esta chorona chora
e canta, pra lhe sarvá…

No juazeiro verdinho,
tá cantando um passarinho,
outro chega, e pega o tom…
Num faz mal que eu sêje franco:
sô moreno, o moço é branco
– café cum leite é que é bom…

Poeta parnasiano
– que faz um poema por ano,
e livros lê, mais de cem –,
renego o cinzel e a trena,
beijo essa fita morena
que a tua viola tem!”


(*) Preto Limão: Anota Câmara Cascudo em Vaqueiros e Cantadores, p. 256-257, ed. citada: Preto Limão, famosíssimo cantador e violeiro. Era um negro alto, esguio, de olhos amarelados, e com um cavanhaque de soba africano. É sempre enumerado entre os primeiros cantadores, e como residindo em Natal, embora não fosse verídico.

Derrotou dezenas de menestréis, mais sua maior glória é ter-se batido com Bernardo Nogueira, que o venceu. Dizem os cantadores que Preto Limão só foi vencido por estar doente, e ter a família adoecido também.

fonte:http://culturanordestina.blogspot.com/
Jornal da Besta Fubana

PARADA DA DIVERSIDADE SEXUAL/ Crato Colorido

 Crato
PARADA GAY DO CRATO
DIVERSIDADE SEXUAL
MADRINHA OFICIAL: MÔNICA ARARIPE

PARTICIPAÇÕES:

REGININHA DUARTE

FERNANDA SKARANZE

WELINGTON CABLEIREIRO

Logo depois na west card wall:

a presença de dj Samuca e Dimmy Kieer e Di Cesar BBB10



DIMMY KIEER
 30 de Junho"quarta" concentração à s16:00h em frente a eventos casa de shows até a praça da sé!
informações :  88 99275717
/9269 7680

REALIZAÇÃO: ADACHO

Electro Pandora

domingo, 27 de junho de 2010

Prêmio Interações Estéticas 2010: inscrições prorrogadas

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) e a Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura (SCC) prorrogaram o prazo para inscrição no Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura. Agora, os artistas interessados em participar do processo seletivo têm até 28 de junho para enviar seus projetos à Funarte.
Com investimento total de R$ 4,45 milhões, a terceira edição do programa oferece aos proponentes a chance de desenvolver trabalhos integrados a ações de Pontos de Cultura de todo o país. Para tanto, serão viabilizados 127 projetos de residência, que levarão artistas de diversos segmentos a atuar em parceria com os Pontos e a criar produtos finais de acordo com as demandas locais. Os prêmios variam de R$ 15 mil a R$ 90 mil.
Para atender à política de descentralização de recursos do MinC, o edital do Interações Estéticas prevê a distribuição de 115 prêmios entre as cinco regiões do país. Além disso, 12 prêmios de R$ 90 mil serão destinados a projetos de abrangência nacional, que não estão submetidos a nenhuma categoria regional preestabelecida.
Ponto de Cultura é a ação prioritária do Programa Cultura Viva, promovido pelo MinC. Atualmente, existem no Brasil cerca de 2.400 Pontos de Cultura, que são responsáveis por articular e impulsionar ações já existentes em suas comunidades. A criação desses espaços, realizada por meio de seleção pública, é resultado de um convênio firmado entre representantes da sociedade civil e o Ministério da Cultura.
Interessados em concorrer aos prêmios devem enviar à Funarte projetos que contenham o objetivo e a justificativa do trabalho a ser desenvolvido e que expliquem suas possibilidades de interação e integração com a dinâmica do Ponto de Cultura. Além disso, é preciso apresentar detalhes sobre o planejamento de execução das atividades e sobre o produto final previsto. Os proponentem devem anexar a esse material a ficha de inscrição e uma carta de aceitação do Ponto de Cultura escolhido. A análise das propostas caberá a uma comissão composta por nove membros de reconhecida capacidade de julgamento.

mais informações:http://www.funarte.gov.br/portal/2010/06/21/premio-interacoes-esteticas-2010-inscricoes-prorrogadas/

Mona Gadelha: Clip de "gol"

 
Sem dúvida nenhuma ela é uma das artistas mais representativas da música cearense. Presente na cena musical desde a "Massafeira", Mona Gadelha acaba de gravar um clip que tem tudo a ver com o momento atual e pode ser assistido no link abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=ig6nmMPkUbg

Gol (*)Intérprete: Mona Gadelha
Autor: Alvaro Fernando
Gravadora: brazilbizz
Produtora: Millenium Production Nordeste
Direção: Vinnicius Pastana
Direção de fotografia: João Carneiro Jr.
Edição: Jorge Rodrigues
Assistente de câmera: André Sabag
Produção execuitiva: Mirela Almeida
Maquiagem: Sueli Feitosa
Elenco: Escolinha do Ceará Sporting Club, Eliézer, Eurides,Gabriel,Ingrid,Irvin,Julio Cesar,Leo,Lucas,Mayara, Marcela,Malu,Nilzete, Priscila, Severino, Suely.
(*) do CD "Salve a Beleza", brazilbizz, 2010. © brazilbizz publishing

Gravado em Fortaleza na Praia do Mucuripe, Vila das Artes, Bar Butequim e Fagulha Steak House. Com apoio da Secretaria de Turismo de Fortaleza e do Governo do Estado do Ceará.
Sob o cenário luminoso da capital cearense, o diretor montou o roteiro privilegiando cenas do cotidiano da cidade, futebol na praia e patrimônio cultural da cidade, entre outras tomadas. Para as filmagens, a equipe contou com recursos de alta tecnologia, imagens em alta definição, que foram captadas por uma câmera digital RED.

Fortaleza prepara-se para receber os jogos da Copa do Mundo em 2014 e Mona Gadelha é uma das artistas mais representativas da música cearense.
A produção também contou com o apoio do Restaurante Faustino, Fagulha Steak House, Ceará Sporting Club - Escolinha, Gran Marquise Hotel, LocCar, Loja Sou Mais Ceará, da Agência Shopping Turismo, Casarão da Vila das Artes, Bar Butiquim e Laiza Helena Casting.



Cantor João do Crato e Grupo se apresentam em Fortaleza nesta Terça-Feira

foto: Dihelson Mendonça

O QUE: SHOW COM JOÃO DO CRATO E BANDA (MANEL DE JARDIM - DEMONTIER - LIBERTSON) - ONDE: PIZZARIA E GALERIA "SABOR DA MASSA" - RUA CONRADO CABRAL, 802 - MONTE CASTELO (PRÓXIMO À BEZERRA DE MENEZES) - TELEFONE: 32 43 55 32 - QUANDO: 29 DE JUNHO (TERÇA-FEIRA) - HORA: 20h00

COMPAREÇAM - DIVULGUEM - PRESTIGIEM OS ARTISTAS CRATENSES

fonte:vamos nessa cariri

Show da Banda Black Dog.


Aconteceu. Não virou manchete, mas virou uma epidemia entre os amantes de um gostosíssimo Rock and Roll. A Banda Black Dog veio ao Cariri e dele está possuída, e nós caririenses também. Foram dois pockets-shows e um super show. Primeiro, dia 18 no SESC Crato, com a produção local do Centro Cultural Banco do Nordeste. Os caras fizeram uma apresentação básica de uma hora, no formato de show-de-rock-em-teatro. Uma bela apresentação que fez lotar aquele espaço fantástico do teatro do SESC do Crato. No dia seguinte, 19/06, a primeira apresentação do dia foi no Centro Cultural do Banco do Nordeste, aquele que é o centro cultural referência no nosso Cariri. O show começou por volta das 20h. Quem foi adorou e os caras fizeram também uma apresentação memorável. Mas foi mais adiante, lá por volta das 23h que os caras realmente arrebentaram. Botaram rock na veia da galera. O ambiente? Nada mais perfeito que o Pink Floyd Bar. Aquele espaço maravilhoso onde você pode sentir o clima mais que bacana de liberdade, prazer e alegria. Os quatro cachorros pretos, não entendiam aquilo. Eles ficaram de queixo caído, literalmente. Como pode se chegar ali, a cerca de 9km do centro do Crato, gente de Crato, Juazeiro, Barbalha e mais algumas outras cidades do Cariri? E para ouvir Led Zeppelin? Que locura era aquela? Mas a loucura aconteceu. E veio carregada de muita energia. A noite prometia. As 21h a gostosíssima banda NIGHTLIFE entrou em cena para nos trazer a magia dos flashes backs dos anos 70/80, com aquele seu formato único de se apresentar sentados. Antonio do baixo, Marquinhos e cia fizeram a abertura do show do Black Dog e muito nos honraram com sua brilhante apresentação, sempre. Por volta das 23h a Black Dog acho que soltou algum "raio paralisante qualquer". As pessoas não conseguiam dançar! Ficou grande parte do público de braços cruzados, de frente pra banda, olhando os caras tocar! Aí, quem ficou de queixo caído foi a galera!Mas calma! Isso não foi todo o tempo! Quando, lá pela terceira ou quarta música, os caras sentiram a simbiose e ela realmente aconteceu, a festa se tornou um vírus. Um vírus que se alastrou por todas as cabeças do bar, inclusive de Erisvaldo (o Pink) e Sandra, donos da casa. Foi delírio geral. A festa foi um completar-se mútuo. Banda, galera, produção, donos da casa. Ninguém conseguia parar mais. Parecia que soltaram algum gás de efeito naquele ambiente, que a todos contaminou. A alegria e o rock estavam juntos. A Banda Black Dog marcou a nossa produção. Marcou o pink Floyd Bar. Marcou o coração da galera.
A emoção continuou por mais alguns dias. Os caras ficaram ainda o domingo e a segunda-feira aqui junto conosco. Conheceram mais um pouco da nossa terrinha. Conhecemos alguns outros projetos da banda. Conhecemos-nos mais. Pintou outros trabalhos, outras idéias, outros projetos. Pintou muita energia, muitos planos para o futuro e a sensação de que esse contágio mútuo vai dar ainda grandes encontros e realizações.
Gostaria de agradecer às empresas e pessoas que nos deram a força para que o evento rolasse. A Prefeitura Municipal do Crato, A Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude do Crato e ao SEBRAE Crato pelos apoios culturais. Às empresas Porão do Rock, Posto São Miguel, Moto Shopping Suzuki, Cevema, Frank Tatoo, Clínica da Bike, Nap Informática, Posto Palmeiral, ao Grupo São Geraldo e a Pororoca, por patrocinar esse evento que veio marcar a nossa região do Cariri. Obrigado a todos. Obrigado também ao amigo Junior Balu, pela cessão do seu espaço, sua casa, para "abrigar" essa querida banda. A casa de Balu se tornou o nosso "QG", onde a banda se sentiu bastante confortável e curtiu a maravilha da companhia dessa grande figura caririense. e por último gostaríamos de agradecer a Ives, Fernando, Daniel e Christian, os Cachorros Pretos. Pelas suas performances, pelos seus talentos, pelas suas amizades e força. E mais ainda por tudo que aconteceu e como aconteceu, marcando para sempre os nossos corações e mentes. A Banda Black Dog nos trouxe o Led Zeppelin ao Cariri. Só isso e nada mais. Daqui pra frente, tudo será completamente diferente, porque nós queremos. Assim seja.

sábado, 26 de junho de 2010

novas atrações festival de Garanhuns




E aí curti indie-acoustic-melodramatic ? pois é esse o som do Thiago Pethit, e é mais uma atração confirmada para o FIG 2010, provavelmente será no Palco POP que fica no Parque Euclides Dourado. A data da apresentação já está definida e será no dia 23/07 - sexta.
Conheça mais sobre a banda:

Thiago Pethit lançou em março de 2010, seu primeiro disco, ‘Berlim, Texas’. Suas 11 canções autorais foram gravadas e produzidas por Yury Kalil (integrante da banda Cidadão Instigado e co-produtor do álbum ‘Uhuuu!’) durante a primavera de 2009, no Totem Estúdio, em São Paulo. O projeto teve direção artística do jornalista multimídia Jackson Araújo.

‘Berlim, Texas’ é o segundo trabalho de Thiago Pethit, que lançou, em 2008, o EP ‘Em Outro Lugar’.



SCOTT FEINER NO FESTIVAL DE GARANHUNS!



Dono de uma interessante mistura musical, Scott Feiner é um músico incomum. Além de ser um pandeirista norte-americano, que por si só já é raro, conseguiu introduzir o pandeiro no universo do jazz, de um modo bem pessoal.

Natural de Nova Iorque, formou-se em música (Jazz Studies/Guitar) pela Hartt School of Music de Hartford, Connecticut, onde estudou história do jazz com o lendário saxofonista Jackie McLean. De volta a Nova Iorque em 1990, passou a ser reconhecido na cena jazzística por seu suingue e fraseado lírico. Durante aquela época, Feiner tocou com os melhores jovens jazzistas nova-iorquinos. Gravou dois CDs como guitarrista: Under the Influence, com o organista Larry Goldings e Feiner’s Keepers, com o saxofonista Joel Frahm.

Em 1999, em sua primeira visita ao Brasil, Feiner descobriu o pandeiro, instrumento que lhe abriu uma nova dimensão musical, mesmo ainda morando em Nova Iorque. Em 2001, muda-se para o Rio de Janeiro a fim de se aproximar do pandeiro e da música brasileira. A tradição carioca de dar canja ajudou-o a evoluir, dando-lhe a oportunidade de tocar com alguns dos melhores músicos de samba e choro no Rio, tanto no palco como nas rodas. Alguns anos depois, Feiner tornou-se um pandeirista respeitado no Rio, sendo chamado regularmente para participar de shows, principalmente em casas da Lapa.

O Artista vai apresentar seu trabalho: Scott Feiner & Pandeiro Jazz no dia 20/07 no Palco Instrumental que fica no Parque-Ruber Van der Linder (pau-pombo)








fonte: http://www.twittaremos.com/search/label/FIG




quinta-feira, 24 de junho de 2010

Programação do Cariri Cangaço



Prezados Companheiros de Cariri Cangaço;


Hoje trazemos aos nossos muitos leitores de todo o Brasil a esperada Programação do Cariri Cangaço 2010; aqui temos o rol de Conferências, as Temáticas, os Palestrantes, as Mesas de Debates e as respectivas cidades anfitriãs. Sejam bem vindos ao Cariri Cangaço 2010 - Coronéis, Beatos e Cangaceiros.

17 AGOSTO 2010
TERÇA-FEIRA

Abertura – Cine Teatro de Barbalha
19:00 H - Solenidade Oficial de Abertura
19:30 H - Conferência
JOSÉ RUFINO
Antônio Amaury Correia de Araújo – São Paulo

MESA
Lemuel Rodrigues – Mossoró RN
Honório de Medeiros – Natal RN
Aderbal Nogueira – Fortaleza CE
Ivanildo Silveira – Natal RN

18 AGOSTO 2010
QUARTA-FEIRA

Sítio Caldeirão do Deserto – Crato
9:00 H – Conferências
RELIGIOSIDADE, MEMÓRIAS E MOVIMENTOS SOCIAIS
Lemuel Rodrigues Silva – Mossoró RN
ANTONIO CONSELHEIRO – PERFIL
Múcio Procópio – Natal RN

MESA
Manoel Severo – Fortaleza CE
Sávio Cordeiro – Crato CE
Sandro Leonel – Crato CE
Manoel Neto – Salvador BA

Salão de Atos da URCA - Crato
19:00 H - Conferências
OS CORONEIS E OS MISTÉRIOS DO ATAQUE DE LAMPIÃO A MOSSORÓ
Honório de Medeiros – Natal RN
THEOPHANES TORRES
Geraldo Ferraz - Recife PE
MESA
Raimundo Marins – Salvador BA
Océlio Teixeira – Crato CE
Paulo Britto – Recife PE
Magérbio de Lucena – Crato CE

19 AGOSTO 2010
QUINTA-FEIRA

Memorial Padre Cícero – Juazeiro do Norte
19:00 H - Conferências
O PACTO DOS CORONÉIS
Renato Cassimiro – Juazeiro do Norte CE
LAMPIÃO EM SERGIPE
Alcino Alves Costa – Poço Redondo SE

MESA
Manoel Neto – Salvador BA
Renato Dantas – Juazeiro do Norte CE
César Megale – Natal RN
Juliana Ischiara – Quixadá CE

20 AGOSTO 2010
SEXTA-FEIRA

Câmara Municipal – Missão Velha
19:00 H - Conferências
DELMIRO GOUVEIA

A AFAC - Associação dos Filhos e Amigos do Cariri informa:


From: cariri.producoes@uol.com.br


A CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, através do Setor de Comunicação, agradece a todos que enviaram as suas produções culturais para participar nos "Prêmios de Comunicação da CNBB", edição 2010. O júri, constituído por profissionais nas áreas respectivas, se reuniram nos dias 16 e 17 de junho, na PUC-RIO, RJ, para julgar os trabalhos inscritos. Após exaustiva reflexão foram contemplados com os troféus Margarida de Prata, para o cinema, Clara de Assis, para a televisão e Dom Helder Câmara, para a imprensa, os seguintes premiados:

1. Troféu
Margarida de Prata
 a) O som do tempo, curta-metragem de Petrus Cariri Maia de Moura;
b) 5x favela, Agora por nós mesmos, longa-metragem de Ficção de Renata de Almeida Magalhães e Carlos Diegues;
c) Duas vidas e uma só causa, documentário de Tatiana Polastri e
d) O advogado das almas, menção honrosa de Rafael Salim e Thaísa Cerveira.

Em tempo: O cinesta Petrus Cariri Maia de Moura é filho do tambem cineasta Rosemberg Cariri e da cratense produtora de cinema Teta Maia.

Parabens da AFAC - Associação dos Filhos e Amigos do Crato


Sobre o Cineasta:

Petrus Cariry. Nascido em 1977 na cidade de Fortaleza, BRASIL. Formado em Webdesing pela Faculdade Integrada do Ceará. - FIC. Dirigiu vários curtas como “A Ordem dos Penitentes” - 35 mm (2002), “Uma jangada chamada Bruna” - HDTV (2003), “A velha e o mar” - 35 mm (2005), “Dos restos e das Solidões”  - 35 mm (2006)”. O filme “A Velha e o Mar” e o curta “Dos Restos e das Solidões” foram premiados em importantes festivais nacionais com mais de 30 prêmios.  “A velha e o Mar” participou de festivais internacionais de cinema como Havana e Tókio. Petrus Cariry acumula mais 40 prêmios com seus curtas. Em 2007 lançou o seu primeiro longa-metragem intitulado “O Grão”, obra cinematográfica contemplada em concurso do Minc, o filme participou de 50 festivais e recebeu mais 25  prêmios internacionais e nacionais. No momento prepara o seu novo projeto de longa metragem o filme “Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois”.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Veja o Coletivo Camaradas na TV Verdes Mares

Matéria veiculada na TV Verdes Mares mostra oficina de Tambores do Coletivo Camaradas, ministrada pelo artista pernambucano Vitor Brito. É só clicar no link abaixo para ver a matéria: http://tvverdesmares.com.br/cariri/Cariri/ong-resgata-tradicoes-africanas/?tv=cariri

Documentário contará história da Mestre Zulene Galdino

A mestra da Cultura Popular Zulene Galdino que desenvolve suas atividades na Vila Novo Horizonte no Crato terá o registro do seu trabalho transformado em documentário, através do Projeto “No terreiro dos Brincantes” desenvolvido pela Universidade Regional do Cariri – URCA, através da Pró-Reitoria de Extensão – PROEX e do Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC.


A Mestra Zulene, desde criança dançava quadrilha junina, tendo criado dois grupos, um de infantil e outro de jovens. Além da quadrilha, a Mestra mantém vivo outras manifestações na comunidade, como a lapinha, maneiro-pau e o grupo Cintura Fina.




O projeto “No Terreiro dos Bricantes” visa contribuir para memória social e afirmação da identidade e diversidade cultural das manifestações artísticas e culturais da região do Cariri. O projeto é desenvolvido através de registros audiovisuais e entrevistas com os mestres e mestras do saber popular na própria comunidade. Um dos objetivos do documentário é contextualizar a realidade socioeconômica dos brincantes. Deverão ser feitos 10 documentários, o primeiro que está em fase de finalização contará a história das mulheres do Coco da Batateira. O Projeto conta com 07 acadêmicos monitores. O primeiro registro na Vila Novo Horizonte será neste sábado, dia 26, a partir das 14h00.






Serviço:


Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho - IEC


Pro - Reitoria de Extensão – PROEX/URCA


(88) 3102-1200

O Céu é o Limite – Ordem Santa Cruz.


Luiz Domingos de Luna *

Por indicação dos padres: José Gonçalves Landim, Vicente Luiz dos Santos ingressei na Ordem Santa Cruz- Penitentes  -Igreja  Rural Laica no ano de 1990, com iniciação solene  na famosa Braúna Santa no sítio Martins – Aurora (CE), antiga emboscada de Lampião que também foi iniciado no dia 3 de junho, 1927 e eu no dia 12 de abril 1991.
Tive a satisfação de ser discípulo de vários decuriões que a exemplo do 2º patriarca da Ordem No Ceará – Padre Cícero Romão Batista – um exemplo de Fé continuada à expansão no tempo espaço.
Enquanto os historiadores a bailar em lindos livros adjetivos desqualificativos sobre os integrantes da Ordem Santa Cruz, numa aliança sempre fiel com a imprensa escrita e  falada, eu, a interrogar tanta virulência contra esta irmandade que, ao meu olhar,  um betume consistente na argamassa do tecido sociológico a vistas para o engrandecimento da epistemologia  Genética da humanidade para o bem.
É fato  que a historiografia da Ordem Santa  Cruz, dificilmente,será folheada pelos leigos, ou mesmo pelos que têm  sempre na veia a vontade de conhecer os fatos como aconteceram  numa história que pulsa viva desde os mais remotos tempos.
O Corpo orgânico  da Ordem Santa  Cruz – Penitentes – Igreja rural Laica / Santa Igreja de Roma tem um formato de repasse de fatos pela ordem costumeira, ou seja, de irmão para irmão posterior numa verdadeira corrente que, dificilmente,  será  fragmentada, ou corroída pela força temporal, assim, um cofre espiritual é sempre alimentado para o bem estar do mundo materializado, da colméia do convívio interativo, dos seres humanos no espaço geográfico e na  imensidão  social  permeada a todos os viventes.

É certo que a relação Estado, Igreja e  Ordem tem sido pontuada sempre voltada para pontos históricos bem delimitados e ficando a ordem  com o ônus dos dissabores do calor efervescente da fissura, usualmente, do mais forte, o que sempre, por esta objetiva a ordem carregará  “a complexidade do centro de coesão” via de regra um peso, uma  anomalia, uma  desprojeção à luz.
Esta visão simplista e  egoísta, parte do pressuposto da própria estrutura de despreocupação com os valores temporais, e com a vida de penitencia e fé e a lealdade aos bons costumes, que sempre filtra os excessos, que por ventura possa  ocorrer por parte de seus integrantes.
Assim, sempre fiel ao  Estado democrático de Direito, a luz da Ordem Santa Cruz terá sempre o céu como limite  na problematização, aceitação e engrandecimento da heterogenia social nos umbrais da existência humana. Mas, dificilmente, deixará  de ser um grande paradoxo para os estudiosos e os penitentes da literatura, e os sedentos de conhecimentos, pois a naturalização do escrito é uma força cultural muito forte e coesa na  historia que, dificilmente, será reparada.
Professor – Aurora - Ceará

terça-feira, 22 de junho de 2010

Paulo Freire e Abelardo da Hora serão os homenageados do Festival de Inverno de Garanhuns de 2010!

Este ano a Fundarpe escolheu duas personalidades pernambucanas muito importantes são: o artista Plástico Abelardo da Hora e o educador Paulo Freire. Pois é! Faltou "apenas" uma personalidade garanhuense a ser homenageada nesta 20ª edição, resumindo quem comanda tudo é a Fundarpe e me parece que a Prefeitura perdeu sua opinião e não tem nenhum privilegio principalmente nas escolhas das principais atrações, é o "FIG do Recife" Conheça mais sobre as duas personalidades homenageadas este ano.

Abelardo Germano da Hora


(São Lourenço da Mata, 1924) é um artista plástico brasileiro. É escultor, pintor, desenhista, gravurista e ceramista radicado desde a década de 1930 na cidade do Recife. É irmão do intérprete de Frevo Claudionor Germano e do médico e escritor Bianor da Hora.

Paulo Reglus Neves Freire


Recife, 19 de setembro de 1921 — São Paulo, 2 de maio de 1997) foi um educador e filósofo brasileiro. Destacou-se por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência. É considerado um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica.

fonte:http://www.twittaremos.com/

Pirão de costela, mais um prato tradicional do Cariri!

Ingredientes

2kg de costela de boi magra em pedaços pequenos
alho (a gosto)
3 folhas de louro
sal  (a gosto)
3 tabletes de caldo de carne
1 cebola grande picadinha em cubinhos
corante (a gosto)
cebolinha verde para servir
salsa para decoração e servir
farinha de mandioca para dar ponto.
ovo de codorna para servir

Modo de Preparo

Frite para dourar a costela de boi com todos os tempeiros em uma
panela separada.
depois de frita coloque a carne em uma panela de pressão com água
até tampar totalmente a carne e deixe cozer na pressão. 
reserve a panela que foi frita a carne.
após cozido e bem molinha a ponto de quase desmanchar, retire
esta carne do caldo que sobrou da panela de pressão.
neste caldo faremos um pirão.
coloque farinha de mandioca aos poucos para se fazer o pirão de
ponto mole.
a panela que se reservou após fritar a carne, faça uma farofa
simples com cebola, sem ovos.
cozinhe os ovos de codorna.
montagem do prato para servir.
num prato de tamanho medio, coloca-se o pirão no fundo de todo o
prato, um pedaço de carne, quatro ovinhos de codorna ao lado
juntinhos, farofa do outro lado, salpique a cebolinha verde
picadinha e decore com um galho de salsa, e sirva, e veja que
delícia de prato, aprovadíssimo para um tiragosto com cervejinha
gelada!

Sobre os índios Cariris - Por: Evandro Rodrigues de Deus

O Crato é uma cidade pacata situada na região do Cariri, mais precisamente ao sul do Ceará, ao sopé da Serra do Araripe. Berço da tribo Cariri, índios que habitaram a localidade durante muito tempo. Esta é basicamente a informação que a maioria das pessoas tem a respeito da história do município. Porém, iremos mostrar mais detalhadamente os fatos que marcaram época e os cidadãos ilustres que dedicaram sua vida ao bem estar da comunidade cratense e ao desenvolvimento do seu povo. Buscando conhecer um pouco mais acerca de nossas raízes nos surpreendemos com a beleza e a riqueza dos acontecimentos. Expomos aqui um resumo que pode ser de muita ajuda para aqueles que por ventura possam se interessar pelo assunto. A região era uma aldeia habitada pelos índios Cariris, um povo pacato, característica que os batizou com esse nome porque no falar de Porto Seguro, Kiriri significa: Calado, tristonho, sincero. A tribo subdividia-se em grupos de diversas denominações, de acordo com os dialetos falados: Quixeréus, curianêses, Calabaças, Cariús, Tremembés, Pacajus, Icós, Cariris, Carirés, Jucás, Jenipapos, Jandaias, Sucurus, Garanhuns, Chocos, Fulniês, Acenas e Romaria. Qualquer índio da região era conhecido como Cariús, por ser a maior tribo existente na época. Os índios Cariris eram originários da Ásia e chegaram ao novo mundo pelos rios Amazonas e Tocantins. Dois tipos étnicos chegaram à América no período neolítico: os Sudésticos e os Brasilídios, a procura de um lugar que lhes dessem melhores condições de vida. Os Brasilídios geraram 12 tribos que se espalharam e povoaram quase que completamente o continente sul americano. Uma dessas tribos foi a nação Cariri que chegou ao sul do Ceará nos séculos IX e X da era Cristã em busca de terras férteis, úmidas, quentes e de fácil plantio, de onde pudesse retirar o sustento da família e conseqüentemente melhor a qualidade de vida. Encontraram no Cariri, mais precisamente no Crato, o ambiente propício às suas aspirações; com suas fontes e riquezas naturais a região propiciou-lhes uma vida fácil e primitiva, retirando da natureza, em abundância, uma diversidade de alimentos como macaúba, babaçu, piqui e araçá, dentre outros. Dedicaram-se ainda ao plantio da mandioca, do milho e do algodão. A caça e a pesca farta nas matas e rios faziam do ambiente um verdadeiro paraíso tropical onde suas famílias puderam viver em paz durante muito tempo.

A vida na tribo era tranqüila. Suas residências eram construídas com a palha da palmeira. Usavam utensílios feitos de forma artesanal como cabaças, cuias e coités. Fabricavam seus utensílios domésticos. Dentre eles destacamos o pilão de socar, a arupemba, o abano, esteiras de palha de palmeira e artigos feitos em cerâmica como vasos, pratos e panelas onde podiam fazer seus cozidos provenientes da farinha de mandioca, (produzida em estilo rudimentar, em casas de farinhas primitivas). e do milho. O bejú, a tapioca, a puba, a canjica, o cuscuz e muitas outras receitas nutritivas vieram dos nossos antepassados indígenas. A maioria destes costumes, comidas e ambientes foram e são utilizados pelas comunidades, até mesmo nos nossos dias. Nos séculos XVII e XVIII, na Serra do Araripe, os índios cariris foram descobertos pelos povoadores do ´Ciclo do Couro` de Sergipe, Pernambuco e possivelmente da Torre da Bahia. Missões Indígenas espalhados pelos Sertões Pernambucanos catequizaram e civilizarão a tribo Cariri. Documentos antigos relatam a presença dos missionários na região a partir de 1730. È aí que se inicia a história do Crato.

TEXTO: Evandro Rodrigues de Deus


fonte: http://acessogeral.blogspot.com

* Irmãos Aniceto, grupo de música cabaçal do Crato com forte influência dos grupos indígenas.


XII ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA DO CEARÁ

segunda-feira, 21 de junho de 2010

UM ATO DE AMOR AO CRATO – Por Jorge Carvalho

Olá, Crato, minha terra, meu berço, amanheceste mais linda, mais charmosa, mais sorridente. Uma beleza. Crato da Rua da Vala, mecânicos a trabalhar..., Rua da Laranjeira, Rabo da Gata, Beco do Padre Lauro, Rua Grande, Beco do Cachimbo, Travessa da Califórnia, Rua do Fogo, Rua Formosa, Nelson Alencar, Rua da Saudade.

Infância no Alto da Penha, de onde avistava toda a cidade, naquele tempo pequenina. Adolescência na Nelson Alencar - Rua da Saudade.

Crato da pioneira: Radio Araripe - ZYH 20 - A voz do Cariri. “Campo do Esporte”, “Mercado Redondo”, Quadra Bi-Centenário - Festivais da Canção, o Votoran, a Drasa, a AABB, Crato Tênis Clube, a “Grota”: Zé Murrinha, Seu Leandro...

Barro Vermelho! Oh! Igrejinha da São Francisco... Chico Viana! E o “Gesso”? Homens, mulheres, orgias, ilusões, fantasias... Maria Alice, Glorinha, Manezim... Chico Curto na bateria... Cantina 1.100, Gurilândia, Elói, Algo Mais, Pau-do-Guarda, Cilué, Igrejinha de São Miguel: Padre Frederico, João do Crato, São Pedro do SESI, a bandinha comandada pelo “maestro” Correinha, Véi do Caldo... Brejo do Brigadeiro. Grande e populoso bairro da Vila Alta. Ah! Chico “Boa Sorte” A matança: Zé de Matos, Luiz Matos, Colégio Sagrada Família, Recreio, Bairro Batateiras: Dona Edite e o coco, quanta descontração nessas bravas mulheres. Nossa Senhora Aparecida. Antigo Colégio Agrícola: Meu pai, Zé Lúcio, Carlos Alencar, Tio Osvaldo, Doutor Hermano Teles, Vicente de Maroca... Seminário. Ah! Como cresceu... Cacimbas, Misericórdia, Conjunto Novo Crato... Tu abençoas, tu velas, tu observas silenciosamente do teu alto toda a cidade na benção do teu padroeiro São José. E tuas procissões... quanta gente, quanta beleza... Ladeiras de vinda e ida de teus moradores, trabalhadores, trabalhadoras que fazem a cidade “viver” dia-a-dia com o suor do seu trabalho. Vocês desevolvem o meu Crato, Cratinho de luta.

Rua Pedro Segundo... Ah! Pedro Segundo? Não! “Pedra Lavrada”, Almir Carvalho, símbolo maior de boa gente cratense. Boêmio, carismático, desportista... Olha o rebelde aí, gente! Beco de Padre Lauro: Beco da Mijada... O simbólico e aromático pezinho de Sapoti... Cine Moderno: José Petrola, Dezim, Macário... Cine Educadora.

Osvaldo, Raimundo Siebra, Antônio Berredo, Cassino: Seu Mário, Antônio Siebra, Otacílio, o Café Crato: Seu Orestes, Thomaz Osterne, Ernani Silva, Brigadeiro Macedo, Luiz Barreto, Tália Márcia, Zé Nilo, Alagoano, Doutor Leônidas, Gutemberg Sobreira, Valtim – o prefeito – Alcides – seu irmão – Zé Landim, Valdir Leite, Zé Valdevino, Antônio Luiz, Júlio Saraiva, Zé Horácio, Pedro Felício, Abidoral, Moacir Dantas, Espedito Dantas, Zeba, Zabé, Virginia, Colo, Dr. Ribamar, Zé Maia, Dedé de Zeba, Bandinha Rosa Guedes, Correinha, o jeep de Maru, Luis Sarmento, Chico Soares, a festa do Bi-Centenário, Os Extras, Musisom, Ases do Ritmo, Bar Ideal, Seu Deodoro, Mazinho, “espinhos e rosas” com eles... Juca e Jeremias, Bazar de Músicas – uma festa em cada lar caririense – Maestro Azul, Jornalista Huberto Cabral, a humanidade de Humberto Macário.

Doutor Maurício Teles, Doutor Macário, Doutor Gesteira, Casa Eurico, Farmácia Teodorico, Cloves Carvalho, Mestre Lucas, Jorge Lucas, Mercearia Beija-Flor, Waldemar Garcia, Salviano Saraiva, Anduiá, Tico de Binda, Prefeito Ariovaldo Carvalho, Prefeito Alexandre Arraes, Seu Teunas, Miguel Soares, Luis Soares, Geraldo Maia, Dr. Raimundo Bezerra, Dr. Jósio Araripe, Mons. Rocha – consultório da família – “Organic Publicidade”, Revista Região, o Circo Nerino, o Café de João Gualberto, Misael, Zé Maia – eterno carnavalesco – a 1ª Feira de Amostras, retretas da Banda de Música, as lapinhas do Natal, o GRUTAC com seus espetáculos teatrais... Coronel Filemon – tio Filé –, Menandro, Mais ou Menos, Sá Barreto, as serestas na Praça da Sé, o Bar Central de Zé Eurico, Dr. Rolim, J. de Figueiredo Filho, Dr. Nelson, do hospital, Dona Ceicinha, Enfermeira Bernadete, Salvina Lucena, Vanda Lúcia – Miss Ceará – a Casa Abraão e seu “queima”, Zé Bedeu, a Babilônia e o Artigo da Semana... Pimenta: Juarez Caçula, Crato Tênis Clube... teus carnavais, como esquecê-los? Nunca! Lameiro – Seu Nelson e os engenheiros de rapadura adoçando a cidade. Caixa d’água: Marcelo Piancó, Chave de Fenda, Casé, São Sebastião – Realmente é o Alto da Alegria: Unidos de São Sebastião. Alto da Penha: Operários do Samba; realmente és uma população operária, uma gente trabalhadora. E o Vasco? O mais antigo em atividade no nosso futebol. Luisim, Dola, Dunga, Menoca, Pedim, Ticola, Esmeraldo, Francisco Maguim: Desportista com “D” maiúsculo. Campo do Cariri: Chico Curto, Pirrol, Peba, Sibito, Pangaré, Frutapão – campo, também do Sport. Bar Social: Seu Chiquim, Praça Cristo Rei, Estação Ferroviária: quanta saudade, quanta recordação! Praça da Sé: Bar do Alagoano: sem comentário. Uma Pérola de Saudade, uma relíquia do Crato, cidade alegre, Crato boêmio, Crato moleque. Os leilões de N. Sra. da Penha, Monsenhor Rubens: carisma sem igual. Um líder. A Feira da Rapadura, Feira da Farinha... O carro de Pedro Maia, a criatividade de Elói com a “Festa da casa grande”, Rádio Educadora do Cariri. Vicelmo. Ah! Hoje é sábado, dia da besteira... é o próprio cratense boa vida, “malandro”, brincalhão, divertido... quem já não se acostumou a ouvir: “Aqui, Rádio Educadora do Cariri... e, Crato 12 horas e 30 minutos”... Doutor Gesteira, Pedro Maia, Sorriso, Chupetinha, Antoin Cornim, Capela, Joquinha, Canena, Maria Caboré, Célio Silva, Baixeirinha, Tandô, Feira da Rapadura, o Rebelde, o Penarol, o Satélite – alô Netinho – o Sport, o Palmeiras: Seu Osmar, Elói, Chapeado Noventa, Zé Gato – O poeta maior – Nascente, Grangeiro, Serrano, Itaytera, Poço da Escada, Boate Colibri, Café Crato, Praça São Vicente, Posto Crato, Posto Ceará, Chico da Cascata, Zé Pajé, Padre Ágio.

Crato: aqui nasci, aqui vivo. Solo em que piso dia-a-dia, água que bebo de tuas fontes serranas, ruas por onde passo em tuas noites enluaradas, boêmias, saudosas, eternas. Crato: eu te amo!

Prof. Jorge Carvalho

domingo, 20 de junho de 2010

Circulo estrelado ou nosso mundinho de artista


Por Alexandre Lucas*

O gueto é um mundo fechado com discurso de liberdade, tal qual festinha de artistas. Quanto mais os artistas se fecham nos seus círculos estrelados, mas a arte se distancia do grande público, em especial na contemporaneidade, na qual muitos artistas tentam a todo custo fazer sobressair a forma em detrimento do conteúdo, ou, muitas vezes o conteúdo é tão distante da realidade das camadas populares, que acaba criando não só o estranhamento, mas a própria aversão a muita coisa do que é produzido.

No Renascimento, os humanistas por exemplo preferiam escrever em latim do que na sua própria língua para distanciasse das massas. Na atualidade muito dos nossos artistas falam para dentro dos seus guetos e produzem para eles. A arte torna-se um entretenimento para ser mostrada aos amigos, criando uma espécie de moeda de troca entre iguais, somente os dos círculos estrelados entendem (faz de conta que entendem) e somente a eles bastam!

O povo que se lasque! O povo é um corpo estranhado neste circulo estrelado. O povo não entende de arte? (será?). Na acepção de muitos artistas, as camadas populares são alienadas e tem uma preferência estética das piores e por isso não compreendem as grandes maravilhas dos iluminados (grandes iluminações?).

Parece-me que vezes, a arte para alguns guetos é um entorpecente, um fim por si só. O contentamento (o prazer) é gerado em reunir os amigos em um só canto, num canto de afinidades e pronto, ponto final mesmo.

Pertenço a esse circulo, apesar de me ver fora dele. Cansei de fazer arte para artistas. Quero uma arte conjugada com o povo e com a dimensão da vida. Uma arte que tenha as cores verdes e amarelas, vermelha e branca, o batuque dos ancestrais e o som eletrônico, o cheiro das rosas e o suor do descarrego, o sorriso gratuito e a revolta contra a opressão, o olhar da inquietação e de inclusão, uma arte que possa ser festa pública e não festinha para artistas. Uma arte que seja sinônimo de participação ativa, de coletividade, de fraternidade e humanização.

Espero que um dia possamos ser um exército de artistas que falem, pintem, dramatizem, dancem e cantem para os excluídos da arte, ou melhor, que a arte não seja roubada da vida de cada um.

Acho que sou (somos) um corpo estranhado neste círculo estrelado.

*Coordenador do Coletivo Camaradas, pedagogo e artista/educador.

sábado, 19 de junho de 2010

Apresentação Internacional do CCBNB - Cariri

Sebastian jantos


Fonte: Centro Cultural Banco do Nordeste

Artista Pachelly Jamacaru fala sobre sua paixão pela Fotografia


Uma pequena entrevista que eu produzi há algum tempo, com o cantor, compositor e fotógrafo Pachelly Jamacaru, que agora trago para o "Cultura no Cariri".



Produção Blog do Crato
Dihelson Mendonça

Myrlla Muniz - programa Refrão-TV Justiça-Neste domingo


O Refrão conta as “Notícias do Brasil”, na voz de Myrlla Muniz

O Refrão desta semana apresenta a cantora cearense Myrlla Muniz. Flautista, violista, professora de canto popular e cantora profissional desde 1995, ela canta a música “Notícias do Brasil”, de Milton Nascimento e Fernando Brant. A canção ressalta a importância da cultura do interior do país. A cantora conversa com a jornalista Noemia Colonna sobre o fato da riqueza interiorana do Brasil não chegar à todos. “Os meios de comunicação, as TVs e rádios públicas, têm um papel fundamental na divulgação do trabalho independente que é feito hoje no Brasil”, afirma Myrlla. A cantora já gravou cinco CDs e dois DVDs. Em todos os trabalhos ela faz referência à cultura regional do nordeste. Num bate papo descontraído, Myrlla afirma que o Brasil perde muito por não conhecer outras formas culturais fora do eixo Rio-São Paulo. “É triste a falta de consistência do que é feito musicalmente neste país, porque existe o Chico Buarque e o Tom Jobim, mas existem tantas outras coisas, e que não tem nome, mas como as pessoas não têm acesso a esses conhecimentos acabam absorvendo que essas outras coisas não são tão boas. Acho que é um momento de ser repensar no que fazer”, enfatiza.

O mais recente trabalho de Myrlla - o DVD “Notícias do Brasil” – resultou na participação da cantora no Festival Internacional do Mediterrâneo, na Itália e em Paris. Foi graças ao Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que ela conseguiu realizar o trabalho. A cantora afirma que é muito importante iniciativas do governo para incentivar a produção artística do país. Quem também participa do programa é o sociólogo Antônio Testa. “O FAC é uma iniciativa das mais louváveis. É uma ação extremamente importante para disseminar, fazer com que haja no Brasil o crescimento do mercado da cultura”, explica Testa.

O Refrão, exibido na TV Justiça, vai ao ar no domingo, às 20h. Horários alternativos: terça 18h; quarta, 13h30; sexta, 20h. O programa também está no Youtube: www.youtube.com/programarefrao.
Refrão: A música que dá o que falar!

Confira a letra da canção

Notícias do Brasil (Os Pássaros Trazem)
Milton Nascimento/Fernando Brant

Uma notícia está chegando lá do Maranhão
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão
Veio no vento que soprava lá no litoralde Fortaleza, de Recife e de Natal
A boa nova foi ouvida em Belém, Manaus,João Pessoa, Teresina e Aracaju
e lá do norte foi descendo pro Brasil Central
Chegou em Minas, já bateu bem lá no sul
Aqui vive um povo que merece mais respeito
Sabe, belo é o povo como é belo todo amor
Aqui vive um povo que é mar e que é rio,
E seu destino é um dia se juntar
O canto mais belo será sempre mais sincero
Sabe, tudo quanto é belo será sempre de espantar
Aqui vive um povo que cultiva a qualidade,ser mais sábio que quem o quer governar
A novidade é que o Brasil não é só litoral
É muito mais, é muito mais que qualquer zona sul
Tem gente boa espalhada por esse Brasil,que vai fazer desse lugar um bom país
Uma notícia está chegando lá do interior
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão
Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil,não vai fazer desse lugar um bom país


Aniversário de Chico Buarque de Hollanda, um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira!


São Paulo, junho de 2010 - Conhecer a obra de Chico Buarque de Hollanda é inevitável a qualquer pessoa que se proponha a saber, o mínimo, de Música Popular Brasileira. Neste sábado (19), o gênio musical, teatral e literário completa 66 anos e, para homenageá-lo, ONNE conta um pouquinho de sua trajetória.

Filho de Sergio Buarque de Hollanda - o maior historiador brasileiro -, Chico nasceu no Rio de Janeiro, mas também morou em São Paulo, quando seu pai foi chamado para dirigir o museu do Ipiranga. Fora do Brasil, viveu na Itália durante a infância, quando Sergio lecionava na Universidade de Roma. Foi nessa época que compôs suas primeiras marchinhas de carnaval.


Quando criança, Chico teve contato com grandes personalidades da cultura brasileira, que, pela amizade com seu pai, frequentavam a casa da família. Grandes nomes da Bossa Nova, como Vinicius de Moraes, que mais tarde tornou-se seu parceiro, e os violonistas Baden Powell e João Gilberto. Chico também foi influenciado por sua mãe Maria Amélia Cesário Alvim, que tocava piano, e por sua irmã Miúcha, que mais tarde se tornaria um grande ícone da Bossa Nova.

Ao retornar de Roma, Chico começou a publicar suas primeiras crônicas no jornal por ele batizado de Verbâmidas, do Colégio Santa Cruz. Ele sonhava em vê-las publicadas nas grandes revistas semanais, ao lado de cronistas consagrados. No entanto, sua primeira aparição na imprensa não foi na seção de cronistas, mas, sim, nas páginas policiais do jornal Última Hora, de São Paulo. Chico e um amigo roubaram um carro para dar umas voltas pela madrugada paulista, o que, até então, era comum na época.

Mas a brincadeira acabou na cadeia. A manchete, com a foto dos dois menores com os olhos cobertos por tarjas pretas, destacava: "Pivetes furtaram um carro: presos". A pena imposta pelo juiz dizia que até que completasse 18 anos Chico não poderia sair sozinho à noite. Em 1963 Chico ingressou na FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo), mas acabou abandonando o curso três anos depois. Um dos motivos que influenciaram em sua decisão era o clima de repressão que tomava conta das universidades após o golpe militar de 1964.

No ano seguinte, Chico começou a se apresentar em shows de colégios e festivais e gravou pela RGE o primeiro compacto, com canções como Pedro Pedreiro e Sonho de um Carnaval. Desde então, não parou mais de compor e se apresentar, participando de festivais internacionais de música, atuando no programa O Fino da Bossa, da TV Record. Ainda em 1965, conheceu Gilberto Gil em um bar que era reduto paulista da Bossa Nova na época. E, em um show estudantil, conheceu Caetano Veloso, que se entusiasmou ao ouvir Chico cantando Olê, olá. Com o II Festival de Música Popular Brasileira, em 1966, o músico tornou-se conhecido no Brasil inteiro por sua música A Banda, interpretada por Nara Leão, que conseguiu o primeiro lugar em um empate com Disparada, de Geraldo Vandré.


A partir daí Chico começou a fazer história. Foi a revolução da música brasileira nos tempos duros da ditadura. Era censurado por qualquer motivo, mas sempre conseguia escorregar pelas barreiras da repressão. Mas foi obrigado a se exilar na Itália em 1969, por ameaças do regime militar. O músico fazia críticas negativas nas entrelinhas de suas músicas, mas os tempos exigiam cuidados redobrados nas composições. Então, Chico criou Julinho da Adelaide, seu pseudônimo para burlar a censura. Mas Julinho compôs apenas três canções: Milagre Brasileiro, Acorda Amor e Jorge Maravilha. Ao retornar para o Brasil, Chico continuou sendo um dos artistas mais ativos na crítica política e na luta pela democratização através de suas letras. Ao longo de sua carreira, firmou parcerias com grandes artistas como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Toquinho, Milton Nascimento, Francis Hime, Edu Lobo e Caetano Veloso.


Além de ser reconhecido por suas composições, Chico é muito respeitado pelo espaço conquistado na literatura e no teatro. Musicou para o teatro Morte e vida Severina e o infantil Os Saltimbancos, que se tornou muito popular, não só entre as crianças, mas também entre seus fã adultos. Escreveu as peças Roda Viva e Calabar, que foram censuradas pela ditadura, Gota d'Água, Ópera do malandro e os livros: Estorvo, Benjamim, Budapeste, que virou filme e ganhou o Prêmio Jabuti, e o recente Leite Derramado.

Hoje já não é mais possível ver Chico Buarque frequentemente na TV, como na época dos festivais de música brasileira. Mas nem é preciso, o respeito e a significância do artista não se apegam às necessidades de divulgações nas mídias populares. Afinal, são 66 anos de contribuição à história brasileira. Chico se tornou referência e um verdadeiro personagem da história brasileira.

fonte:http://msn.onne.com.br/cultura/materia/13687/chico-buarque

II EXPOSÃOJOÃO

Notícias Cariri Cangaço!

Quando agosto chegar; logo após a final da Copa do Mundo... uma outra Seleção entra em campo!

A família Cariri Cangaço 2010.
Veja quem estará conosco em um dos maiores evento do gênero, no Brasil:

Antônio Amaury - SÃO PAULO ; Aderbal Nogueira - FORTALEZA; ; Alexandre Lucas - CRATO; Ângelo Osmiro - FORTALEZA ; Alcino Costa - POÇO REDONDO ; Arlene Pessoa - CRATO; Assis Nascimento - MOSSORÓ; Arievaldo Viana - CAUCAIA; Afrânio Gomes - FORTALEZA; Ana Rosa - CRATO; Assis Timóteo - TRIUNFO; Alessandra Bandeira - CRATO; Ana Lúcia - PETROLINA; Alfredo Bonessi - FORTALEZA; Anna Christina Carvalho - CRATO; Alônio Linard - MISSÃO VELHA; Antônio Vicelmo - CRATO; Antônio Tomaz Cisne - FORTALEZA; Antônio Vilela - GARANHUNS; Armando Lopes Rafael - CRATO; Aldo Anísio - FORTALEZA; Barros Alves - FORTALEZA; Bosco André - MISSÃO VELHA; Cleuder Arcanjo - MOSSORÓ; Carlos Elydio - SÃO PAULO; Chagas Nascimento- MOSSORÓ; Cacá Araujo - CRATO; Caio Cesar Muniz - MOSSORÓ ; Carlos Rafael Dias - CRATO; Carlos Macedo - AURORA; Carlos Santos - NATAL; Célia Magalhães - MISSÃO VELHA; Comendador Mariano - FORTALEZA; Carla Prata - CRATO; César Magale - NATAL ; Cicinato Neto - LIMOEIRO DO NORTE; David Bandeira - MACEIÓ; Daniel Walker - JUAZEIRO DO NORTE; Dra. Francisquinha - CAJAZEIRAS; Dário Castro Alves - FORTALEZA; Diana Lopes - TRIUNFO; Dilson Patativa - TERESINA; Dihelson Mendonça - CRATO; Edésio Batista - CRATO; Emanuel Braz - MOSSORÓ; Eloisa Farias - BRASÍLIA; Emilson Silva - JOÃO PESSOA; Édio Calou - CRATO; Felipe Caixeta - JUAZEIRO DO NORTE; Fernando Pinto - CRATO; Fatima Pereira - CAJAZEIRAS; Franklin Jorge - NATAL; Francisco Pereira - CAJAZEIRAS; Geraldo Ferraz - RECIFE; Gilmar Teixeira - PAULO AFONSO; Geraldo Maia - MOSSORÓ; Gonzaga de GARANHUNS; Huberto Cabral - CRATO; Honório de Medeiros - NATAL ; Hugo Rodrigues - JUAZEIRO DO NORTE; Isa Fernandes - SOUZA; Isabel Zastini - FLORIANÓPOLIS; Ivan Maurício - RECIFE; Ivanildo Silveira - NATAL; Jackson Bantim Bola - CRATO; José Cláudio Cacau - PIRANHAS; José Edmilson Cisne - FORTALEZA; José Cícero - AURORA; José Ivo Dantas - MISSÃO VELHA; Josélio Araújo - BARBALHA; Jackson Nuvens - NOVA OLINDA; Josenir Lacerda - CRATO; Jairo Luiz - PIRANHAS, Josier Silva - BARBALHA; Juliana Ischiara - QUIXADÁ; Janio Rego - FEIRA DE SANTANA; João Paulo Carvalho - DORES; José Flávio Vieira - CRATO; João de Sousa Lima - PAULO AFONSO; Joventino Melo - SALVADOR; Janinha Brito - CRATO; Kydelmir Dantas - MOSSORÓ; Kaika Luiz - CRATO; Kael Rocha - JATI; Lívio Ferraz - FORTALEZA; Lemuel Rodrigues - MOSSORÓ; Leopoldo Kawisner - FORTALEZA; Luiz Domingos de Luna - AURORA; Leandro Cardoso - TERESINA; Lenin Falcão - JUAZEIRO DO NORTE; Kiko Monteiro -LAGARTO; Manoel Neto - SALVADOR; Mano Grangeiro - JUAZEIRO DO NORTE; Marcílio Falcão - MOSSORÓ; Mayara Almeida - CAJAZEIRAS; Magérbio de Lucena - CRATO; Manoel Nascimento - MOSSORÓ; Múcio Procópio - NATAL

É ... a família aumentou!!! Vamos lá...

Nemézio Barbosa - CRATO ; Neli Gonçalves - BELO HORIZONTE; Rosário Lustosa - JUAZEIRO DO NORTE; Nezim Patrício - CRATO; Nívia Uchoa - JUAZEIRO DO NORTE ; Nizete Alencar - CRATO; Napoleão Tavares Neves - BARBALHA; Paulo Gastão - MOSSORÓ; Paulo Moura - RECIFE; Pedro Henrique - BRASÍLIA; Patrício Melo - CRATO; Paulo Britto - RECIFE; Renato Dantas - JUAZEIRO DO NORTE; Ricardo Sabadia - FORTALEZA; Raimundo Marins - SALVADOR; Renato Cassimiro - JUAZEIRO DO NORTE; Rui Siqueira - VITORIA; Rosa Bezerra - RECIFE; Rostand Medeiros - NATAL; Rubinho Lima - PAULO AFONSO; Océlio Teixeira - CRATO; Sandro Lopes - AURORA; Sabino Bassetti - SÃO PAULO; Sandro Leonel - CRATO; Sérgio Barros - JUAZEIRO DO NORTE; Sávio Cordeiro - CRATO; Salete Rego - RECIFE; Ulisses Germano - CRATO; Vilson Leite - PORTEIRAS; Vicente Landim - BRASILIA; Valdir Júnior - FORTALEZA; Vilma Maciel - JUAZEIRO DO NORTE; Wilton Dedê - CRATO; Wilson Seraine - TERESINA; Wescley Dutra - JOÃO PESSOA; Wilson Bernardo - CRATO.

Tá sentido falta de alguém, né?
Pois é, nós também: Você !
Confirme já sua presença e venha conosco participar do
Cariri Cangaço 2010 - Coronéis, Beatos e Cangaceiros!

Tudo isso e muito mais no: cariricangaco.blogspot.com

Produção Cariri Cangaço
O Cariri Cangaço é uma promoção da Cariri do Brasil, uma realização das prefeituras municipais de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha e Aurora, URCA/PROEX e ainda o apoio da SBEC, do ICC, do Centro Pró Memória, do ICVC, da Fundação Memorial Padre Cícero, da Associação de Cordelista de Crato, do Ponto de Cultura Lira Nordestina, do SEBRAE, do SESC e do Centro Cultural Banco do Nordeste, Grupo Empresarial Guanabara e Revista Nordeste VinteUM.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

ENSAIO - Ponta da Serra - Dihelson Mendonça


Image9


Image3


Image10


Image5


Image6


Image7


Image14



Image1



Image12


Fotos: Dihelson Mendonça
Proibida a Reprodução e Utilização sem a Autorização do Autor

TRISTE NOTÍCIA! morre o grande escritor, prêmio nobel de literatura José Saramago!

Morre escritor português José Saramago, aos 87 anos

MADRI (Reuters) - O escritor José Saramago, primeiro Prêmio Nobel português, morreu nesta sexta-feira em sua casa aos 87 anos, informou a editora que publica os livros do autor na Espanha, a Alfaguara.

O autor, cuja frágil saúde provocou temores sobre sua vida há alguns anos, publicou no final de 2009 seu último romance "Caim", um olhar irônico sobre o Velho Testamento, muito criticado pela Igreja.

Coletivo Camaradas pretende montar grupo de cortejo


No Crato, já existem cerca de três grupos de Maracatus.

O Coletivo Camaradas pretende contribuir com o resgate da musicalidade da tradição africana bastante difundida na região do Cariri, através dos grupos de reisados, bandas cabaçais, capoeira e maracatus. A intenção dos camaradas é montar um grupo de cortejo. Neste sentido será realizada uma oficina de Construção de Tambores, ministrada pelo artista pernambucano Vitor Brito.

Vitor Brito vem desenvolvendo na cidade do Crato um trabalho de incentivo a criação de grupos de Maracatus, tendo ministrado oficinas na comunidade Jocum, no Ponto de Cultura Carrapato, na Casa Harmônica e no projeto Nova Vida, na comunidade do Gesso, no qual é educador. A experiência na construção de instrumentos e o seu aprendizado de percussão se deram nos terreiros de maracatus do Pernambuco.

O Coletivo Camaradas visa potencializar a compreensão sobre a história da musicalidade de origem africana, convidando inclusive integrantes do Maracatu Cearense Az de Ouro que tem mais de 70 anos de tradição no Estado do Ceará. A realização da oficina conta com a parceria da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri – PROEX/URCA e do Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC. A oficina terá início neste sábado, dia 19, no Crato.

Seu Lunga, figura folclórica e real de Juazeiro do Norte

Seu Lunga é o cabra mais ignorante do mundo. Ele não tem muita paciência com nada. Aqui no Nordeste, sua fama se espalha devido a histórias como essas: 




"Seu Lunga entrando em uma loja:
- Tem veneno pra rato?
- Tem! Vai levar? - Pergunta o balconista.
- Não, vou trazer os ratos pra comer aqui!!! - responde seu Lunga."

"Seu Lunga resolve andar um pouco e sai com seu chapéu grande e antigo. Durante sua caminhada ele resolve coçar a cabeça sem tirar o chapéu, então uma conhecida dele pergunta:
-Oxe seu Lunga, num tira o chapéu pra coçar o cabelo não é?
Seu Lunga então responde:
-E a senhorita tira a calcinha pra coçar o tabaco?"


"Seu Lunga vinha chegando em sua casa com 1 litro de leite, quando uma pessoa perguntou:
-Seu Lunga, vai tomar um leitinho?
-Não, é pra lavar a calçada - Ele pegou, e jogou o leite na calçada."

"Seu Lunga tava cortando uns limões, quando passa sua mulher e pergunta:
-Esse limão é pra fazer suco?
-Não, é pra eu usar de colírio!"

"Seu Lunga estava chupando limão, quando cai um pouco no olho, quando passa alguém e pergunta:
-Ardeu, Seu Lunga?
-Não, mas vai arder é agora – Disse espremendo limão nos olhos."

"Seu Lunga estava na sua casa com sede. E manda seu sobrinho lhe trazer um pouco de leite. Daí o pobre do garoto pergunta:
-No copo Seu Lunga?
E seu Lunga responde - Não. Bota no chão vem empurrando com o rodo, fi de rapariga!!!"


"Seu Lunga estava passeando na calçada com o cachorrinho. E lhe perguntam:
- Passeando com o cachorrinho Seu Lunga???
E Seu Lunga respondeu - Não. É meu passarinho - pegando o pobre podle pela coleira e fazendo ele voar."


"O funcionário do banco veio avisar:
- Seu Lunga, a promissória venceu.
- Meu filho, pra mim podia ter perdido ou empatado. Não torço por nenhuma promissória."

"Um sujeito até a loja do Seu Lunga e pediu uma porca de determinado tamanho, seu Lunga respondeu:
- Procure naquela caixa.
E o sujeito começou a procurar e no meio de tantas peças nada de ele conseguir achar a porca que ele queria, então exausto falou para Seu Lunga:
- Seu Lunga, não consegui achar a porca...
Indignado, Seu Lunga foi até a caixa, procurou a tal porca e a achou, então virou-se para o rapaz e respondeu:
- Eu não te disse que a porca tava aqui fi duma égua!!! - e jogando a porca novamente na caixa e misturando com as outras peças diz - agora procura de novo direito que você acha!!!"

"O filho do Seu Lunga jogava futebol em um clube local, e um dia Seu Lunga foi assistir a um jogo de seu filho no estádio, e o sujeito sentado ao lado pergunta:
- Seu Lunga, qual dos jogadores ali é o seu filho.
Seu Lunga aponta e diz:
- É aquele ali...
- Aquele qual?
- Aquele ali!!!!
- Não tô vendo...
Então Seu Lunga "P" da vida pega uma pedra, joga em cima de seu filho e diz:
- É aquele alí que começou a chorar!!!"


"Seu Lunga, quando jovem, se apresentou à marinha para a entrevista:
Você sabe nadar? Pergunta o oficial.
-Sei não senhor.
-Mas se não sabe nadar, como é que quer servir à marinha?
-Quer dizer que se eu fosse pra aeronáutica, tinha que saber voar!!"

"Seu Lunga vai saindo da farmácia, quando alguém pergunta:
Ta doente, seu Lunga?
- Quer dizer que seu fosse saindo do cemitério eu tava morto!!!"

"Entra um sujeito na sucata de Seu Lunga, escolhe um relógio um pouco velho e pergunta:
- Seu Lunga, esse relógio presta pra tomar banho?
- Eu prefiro um sabonete – Responde Seu Lunga."


"Seu Lunga andava com sua bota com par de esporas. Quando um amigo seu pergunta - e esse par de esporar?
Seu Lunga responde: - pra caçar rato! O rapaz pergunta, como?
Seu Lunga diz: - primeiro você põe um queijo no c... e quando o rato vier, você chuta de calcanhar o rato com as esporas.

A Pescaria:
Seu Lunga sai de casa com a vara de pescar e um cestinho em direção a lagoa quando seu vizinho passa e fala:
- Indo pescar Seu Lunga? E seu Lunga responde:
- Não to indo jogar porrinha (quebrando em palitinhos a vara de pescar).


Cachaças artesanais!

Cachaças regionais produzidas por Samuel, também artista plástico da nossa cidade! Xá de flor, cambuí, anísio estrelado e outras...



Para pedidos entrar em contato com o email: janinhayh@hotmail.com

Vendo 147, banda que estará no FIG 2010, conheçam! Vale a pena!


Sobre clones e baterias
Banda com duas guitarras é bem comum. Sem guitarra você já deve ter visto. Sem baixo, eventualmente. Sem vocalista, idem. Com dois vocalistas? Claro. Mas se você, roqueiro ou não, acha que já viu de tudo nessa vida, muita calma nessa hora. Que tal...dois bateristas? Sim, dois bateristas, porque não?
Vejam bem, estamos falando de dois bateristas, e não de duas baterias. A bateria continua reinando única, soberana. A novidade é que resolveram contrariar as leis da física e inventaram que dois bateristas podem, sim, ocupar o mesmo lugar no espaço. E a mesma bateria também. Assim nasceu o “clone drum”. Na essência, a coisa é simples: um mesmo bumbo tocado por duas pessoas, uma de frente para a outra, sincronizadas, como gêmeas, clones.
Quem inventou isso? Bom, os primeiros a lançarem a moda foram os suíços do Monsters. Há quem diga que já se fez isso na Suécia também. Mas não é que uns malucos da Bahia resolveram importar a invenção? Dando nome aos bois: Glauco Neves e Dimmy "O Demolidor" Drummer, os “bateristas-clones”, Pedro Itan e Duardo Costa, nas guitarras, e Caio Parish, no baixo.
Alguns deles são velhos conhecidos do rock baiano. Glauco é ex-baterista da Vinil 69 e da Pessoas Invisíveis; Dimmy tocava no Honkers; Pedro é ex-guitarrista da Vinil 69 e do Honkers; Duardo tocou na sergipana Snooze; Caio foi baixista da Trevo Robótico. Eles formam a Vendo 147, uma banda que diz fazer música instrumental, sem pretensão e sem rótulo.
Mas, aqui pra nós, é muito fácil pôr abaixo as duas afirmações dos caras. Apesar de não querer ser rotulada, é inegável dizer, pelo menos, que a banda toca rock. Rock de verdade, como dizem alguns roqueiros velhos, órfãos, saudosistas. Rock bem tocado. Atual, mas com um leve toque de ontem. Virtuoso, sem ser chato. Rock pra quem odeia e pra quem adora rock. Pra suíços e baianos.
Outra afirmação que pode ser facilmente refutada: como uma banda é despretensiosa lançando uma novidade como essa? Ambição é o nome deles. Ousadia é o apelido. Você vai ouvir falar muito dessa banda. E vai saber de cor o seu nome completo.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tudo pronto para o Cariri Cangaço


Caros companheiros,

Já estamos preparados para acolher a todos os amigos no Cariri Cangaço 2010, a partir do mês de AGOSTO. Se você precisa de informações de COMO CHEGAR ou ONDE FICAR durante o evento; visite o blog oficial em sua aba lateral e conheça a forma de chegar e também os hotéis de nosso cariri.
Grande abraço.
cariricangaco.blogspot.com
Manoel Severo
Curador e Coordenador do Cariri Cangaço


Cariri Cangaço - Coronéis, Beatos e Cangaceiros, evento de cunho turístico-cultural e científico; em sua edição 2010, acontecerá na Região do Cariri, sul do estado do Ceará, tendo como cidades anfitriãs: Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha, Aurora e Porteiras. Reunirá a partir de uma programação plural, dinâmica e universal, personalidades locais, regionais e nacionais; do universo da pesquisa e estudo das temáticas ligadas ao Cangaço, Tradições e Histórias do Nordeste. Até o presente momento temos a confirmação de 86 personalidades, entre: pesquisadores, escritores, professores de várias áreas, artistas, cineastas, documentaristas, fotografos, jornalistas, enfim.
O Evento em sua segunda edição terá um conjunto de 16 conferências, seguidas de debates, abordando temáticas ligadas à historiografia nordestina (sub temas: Coronéis, Beatos e Cangaceiros); distribuídas durante o período de realização do mesmo; 6 dias ; nos 6 municípios anfitriões. Os conferencistas são pesquisadores, estudiosos, escritores e professores, de renome nacional.
A partir da Universidade Regional do Cariri – URCA; parceira do evento; o Cariri Cangaço - Coronéis, Beatos e Cangaceiros, estará promovendo também um grande Painel de apresentação de Trabalhos Acadêmicos, de participantes de todo o Brasil, sobre a temática do encontro.
Será apresentada a II Mostra Cariri Cangaço de Cinema, Vídeo e Documentários, possibilitando aos participantes uma maior interação com a temática a partir dos trabalhos apresentados.
Teremos a II Latada do Livro Cariri Cangaço, onde os participantes terão a oportunidade de entrar em contato com as principais obras literárias sobre a temática.
Teremos o II Grande Salão Cariri Cangaço, onde serão lançadas 8 novas obras literárias sobre a temática; de autores de todo o Nordeste e também São Paulo.
Teremos distribuídas nos seis dias de evento, 17 Apresentações Artísticas, com as mais significativas manifestações culturais e folclóricas de toda região do Cariri, das áreas das Artes Cênicas, Música e Cultura Popular.
Em sua primeira edição, o Cariri Cangaço-2009, reuniu 79 personalidades do universo da pesquisa e estudo das temáticas ligadas ao nordeste e ao cangaço; recebemos no cariri cearense 197 participantes de 12 estados da federação; Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal; além dos mais 1.500 participantes dos municípios promotores. Durante seis dias no ano de 2009; entre 22 e 27 de setembro, foram realizadas 19 Conferências, seguidas de debates, 21 Visitas Técnicas e 23 Apresentações Artísticas. Foram inauguradas a I Mostra de Cinema e Vídeo Cariri Cangaço, como também foi lançada a I Latada do Livro Cariri Cangaço, tivemos ainda o lançamento de 6 novos livros de escritores dos estados de Pernambuco, Ceará, Distrito Federal e Minas Gerais

O Cariri Cangaço é uma promoção da Cariri do Brasil, uma realização das prefeituras municipais de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha e Aurora, URCA/PROEX e ainda o apoio da SBEC, do ICC, do Centro Pró Memória, do ICVC, da Fundação Memorial Padre Cícero, da Associação de Cordelista de Crato, do Ponto de Cultura Lira Nordestina, do SEBRAE, do SESC e do Centro Cultural Banco do Nordeste, Grupo Empresarial Guanabara e Revista Nordeste VinteUM.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...