segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Mestre Zé do Pife e as Juvelinas


Oferecemos apresentações musicais/circenses e dançantes.
E/ou oficinas de pífano e contrução de pífano.

O grupo foi formado em 2007, ao término da Oficina de Pífano que o Mestre Zé do Pife ministrou na Universidade de Brasília.
Atualmente integram o conjunto nove moças e o próprio Zé do Pife, pernambucano que mora em Brasília desde 2002 e que
há mais de 50 anos vem realizando a arte de tocar e fabricar o pífano.
Valéria Lemman uma das concorrentes
 do Festival Cariri da Canção 

Tocamos músicas tradicionais de banda de pífano (de autoria de Zé do Pife, seus familiares e amigos de sua terra natal São José do Egito/PE, e também de outras bandas de pífano). Além disso, tocamos músicas de diversos artistas e grupos conhecidos como Luiz Gonzaga e Coco Raízes de Arco Verde. Dentre os ritmos contidos no nosso repertório estão o baião, xote, frevo, marchinhas, valsas, cocos, sambinhas. Vale notar que além das músicas tradicionais de banda de pife, o grupo também toca outros estilos musicais com outros instrumentos regionais e vem criando músicas a partir das influências que recebe, realizando de forma própria suas músicas e sua arte. As músicas podem ser acompanhadas de danças e brincadeiras tradicionais e artes circenses executadas ao tom e ao ritmo da popularidade brasileira que remontam e resgatam o imaginário popular. Dessa forma, pode-se dizer que criação artística e performance do grupo Mestre Zé do Pife e as Juvelinas é um mix do tradicional com a contemporaneidade.



Sobre nosso show, gostaríamos de dizer que temos sempre dois formatos de apresentação que deixamos a critério do contratante decidir:
(1) Cortejo/Fuá – tocamos no chão, sem amplificação (no máximo um head-set para Zé do Pife);
(2) Show Palco - com amplificação (se for o caso desse show, enviamos mapa de palco previamente).
Cabe a vocês nos falarem qual o tipo de apresentação que seria mais adequada, de acordo com a expectativa de público e o espaço disponível para as apresentações.

Para o show de palco, além da formação tradicional de banda de pife: pífanos, zabumba, caixa, contra surdo, triângulo e pratos, utilizamos outros instrumentos tais como rabeca, violino, sanfona, violão, viola caipira, violoncelo, etc. Vale lembrar que todas as integrantes da banda cantam, principalmente Zé do Pife. E, também, dependendo da natureza da apresentação, realizamos números circenses e danças, simultâneo à execução das músicas, visto que algumas integrantes também atuam na área de circo, teatro e dança.

Também podemos fazer uma mescla no formato do show:
(3) Show Palco + Cortejo/Fuá – iniciamos no palco e depois descemos para tocar junto com o público e realizar a coreografia do trancilim e Alvorada. 
Valéria Lemman!
*


Foto de Davi Santos
Brasília tu és bonita. Quero crescer ao teu lado
Dormindo sonhei contigo nos campos verdes bordados
E no centro de você nasceu um pé de saudade
O centro de convenções e o povo do cerrado”
Trecho da música inédita “Teu olhar me faz chorar” música Mestre Zé do Pife.
A letra abstrai o olhar do Mestre sobre a cidade que ele atualmente mora, Brasília. A forma que o Zé do Pife vê o mundo tem as suas raízes na sua vivencia, que se inicia na cidade em que ele nasceu e se criou em São José do Egito – PE.
Pela sua bagagem cultural o Zé do Pife se torna um individuo com acesso aos significados culturais da sua região e os transmite as suas alunas “As Juvelinas”. Porém uma relação é baseada em duas vias de informação, uma transmitida e outra recebida. Nessa permuta de informação o mestre não só ensina, ele aprende também.
De um lado a cultura regional nordestina representada por Zé do Pife, e de outro a diversidade cultural de Brasília representada pelas Juvelinas, ambas as realidades se encaixam no grupo e formam uma terceira visão cultural. Essa visão pode ser observada nas variações de instrumentos musicais do grupo, como instrumentos clássicos, populares e regionais.
O ensaio da música Forró de Sanfona ilustra essa grande variedade de instrumentos, pois possui violoncelo, violino, sanfona, pífano, pandeiro, zabumba e triângulo que se encontram e se combinam no ritmo nordestino do Baião. Igual é a imagem que o grupo “Mestre Zé do Pífe e As Juvelinas” transmite. A mesma mistura dos instrumentos musicais se dá nos integrantes do grupo, que possuem as suas raízes em diversas culturas e se unem no mesmo ritmo que se dá no Zé do Pife.
A música do grupo é muito marcante, e uma das características do grupo é “música de pífano”, que é um instrumento de sopro no sentido transversal. O grupo Mestre Zé do Pife e as Juvelinas normalmente toca com pífanos feitos de bambu ou PVC.


Um comentário:

  1. oi ...bom so de goiania e conheci o trabalho q vcs fazem...adorei e torço para q sempre esteja presente...fazendo com q todos tenham aceso a cultura de outras partes do brasil ....

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...