domingo, 9 de janeiro de 2011

PADRE FREDERICO


Nascido em Gelsenkirchen, Alemanha, no dia 26 de Janeiro de 1916, Padre Frederico Nierhoff foi figura proeminente na cidade de Crato. Quando assumiu a Paróquia de São Vicente Ferrer – em 1948 – como segundo vigário, a igreja-matriz tinha proporções pequenas e acanhadas. Nos 20 anos nos quais administrou aquela paróquia (1948-1968), Padre Frederico comprou imóveis vizinhos ao templo e ampliou a igreja. Remodelou e ampliou, também, a casa paroquial dotando-a de ampla área anexa, uma espécie de área de lazer, destinada às crianças que se preparavam para a primeira comunhão. Construiu a Capela de São Miguel Arcanjo, hoje igreja-matriz da paróquia do mesmo nome.

Padre Frederico foi o oitavo filho de um casal profundamente católico: Hermann e Adolfina Nierhoff. Iniciou seus estudos teológicos em Oberhundem, transferindo-se depois para a cidade de Lebenhan Grave, na Holanda. Ainda estudante de Teologia – pertencente à Congregação dos Missionários da Sagrada Família – devido às incertezas da Segunda Guerra Mundial, deixou a Alemanha em sete de Março de 1938, com destino ao Brasil, onde deu continuidade aos seus estudos na cidade de Recife. Ali foi ordenado sacerdote no dia 1º de maio de 1941.

Antes de residir em Crato, exerceu atividades pastorais nas cidades de Picos e Pio IX (no Piauí), Saboeiro, Arneirós e Aiuaba (no Ceará). Em Crato, além de suas atividades no âmbito espiritual, construiu escolas, postos de saúde e capelas na zona rural na então vasta Paróquia de São Vicente Ferrer. Era um homem de grande dinamismo e enorme capacidade de trabalho. Deve-se ao Padre Frederico a construção de um conjunto de casas populares no sítio Malhada – que leva o nome da mãe daquele sacerdote, Adolfina Nierhoff – ainda hoje modelo de assentamento rural com geração de emprego e renda.

Nos anos 40 e 50 do século passado o Cariri cearense era conhecido no Brasil como um dos maiores focos de tracoma, infecção que afeta os olhos e, se não for tratada, pode causar cicatrizes nas pálpebras e cegueira. Padre Frederico selecionou voluntários da zona rural de sua paróquia para ajudar a “Campanha Federal Contra o Tracoma”, iniciativa do Departamento Nacional de Saúde Pública. No início da década 60 essa moléstia tinha sido erradicada da zona rural do município de Crato.

Desgostoso com a redução da Paróquia de São Vicente Ferrer a um território de poucos quarteirões no centro de Crato, Padre Frederico desligou-se em 1969 da diocese de Crato e foi ser vigário de Custódia (Pernambuco) onde renovou a pintura interna e retelhou a cobertura da nave central da Igreja de São José, padroeiro daquela cidade. Apesar do pouco tempo em que ali foi pároco, ainda modificou e reformou a casa paroquial, comprou um prédio comercial e fundou o Lions Clube de Custódia. Dali saiu para ser pároco e vigário-geral da diocese de Floresta (PE), aonde no dia 31 de outubro de 1975 sofreu um enfarte enquanto dirigia um carro. Este, desgovernado, capotou ocasionando a morte do Padre Frederico.

Sua repentina e inesperada morte foi muito lamentada em Crato, onde o Padre Frederico trabalhou com dedicação e carinho juntos aos mais necessitados e onde possuía muitos amigos.

Material enviado por José Soares de Melo para o site WWW.custodia-pe.com.br

OBS- O presente texto foi postado sem a citação do nome do professor Armando Rafael que reclama a sua autoria. Faço constar o mal entendido, informando que a transcrição foi feita como foi postado em 21 de junho de 2009 no site acima citado. Informo ainda que eu não tinha conhecimento de que a autoria era do professor. Vejam nos comentarios a postagem do Professor Armando.

9 comentários:

  1. Dedê:

    Na verdade este artigo é de minha autoria, fruto de uma pesquisa feita em 2008, a pedido de Antônio Morais, do Blog do Sanharol.
    Utilizei na pesquisa o resultado de conversas informais, lembranças de meus familiares e até uma lembrancinha (traduzida do alemão) da missa de 30º do falecimento de Padre Frederico, mandada celebrar pela família Nierhoff, em 31 de outubro de 1975, na cidade de origem do Padre Frederico (Gelsenkirchen), que me foi gentilmente cedida pela Sra. Almina Arraes de Alencar Pinheiro, amiga do saudoso sacerdote.
    O artigo original foi postado em 2008 no Blog do Sanharol e, posteriormentee, no Blog do Crato.
    A foto que ilustra a postagem foi gentileza da artista plástica Assunção Gonçalves, residente em Juazeiro do Norte, hoje com 95 anos, outra amiga do Padre Frederico Nierhoff, que tem um vasto arquivo com pessoas que marcaram a vida do Cariri nas décadas, 30,40 e 50 do século passado.
    Cordialmente,
    Armando Lopes Rafael

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Eis a postagem original:

    Padre Frederico – por Armando Lopes Rafael

    Nascido em Gelsenkirchen, Alemanha, no dia 26 de Janeiro de 1916, Padre Frederico Nierhoff foi figura proeminente na cidade de Crato. Quando assumiu a Paróquia de São Vicente Ferrer – em 1948 – como segundo vigário, a igreja-matriz tinha proporções pequenas e acanhadas.

    Nos 20 anos nos quais administrou aquela paróquia (1948-1968), Padre Frederico comprou imóveis vizinhos ao templo e ampliou a igreja. Remodelou e ampliou, também, a casa paroquial dotando-a de ampla área anexa, uma espécie de área de lazer, destinada às crianças que se preparavam para a primeira comunhão.

    Construiu a Capela de São Miguel Arcanjo, hoje igreja-matriz da paróquia do mesmo nome.Padre Frederico foi o oitavo filho de um casal profundamente católico: Hermann e Adolfina Nierhoff.
    Iniciou seus estudos teológicos em Oberhundem, transferindo-se depois para a cidade de Lebenhan Grave, na Holanda.

    Ainda estudante de Teologia – pertencente à Congregação dos Missionários da Sagrada Família – devido às incertezas da Segunda Guerra Mundial, deixou a Alemanha em sete de Março de 1938, com destino ao Brasil, onde deu continuidade aos seus estudos na cidade de Recife. Ali foi ordenado sacerdote no dia 1º de maio de 1941.

    Antes de residir em Crato, exerceu atividades pastorais nas cidades de Picos e Pio IX (no Piauí), Saboeiro, Arneirós e Aiuaba (no Ceará). Em Crato, além de suas atividades no âmbito espiritual, construiu escolas, postos de saúde e capelas na zona rural na então vasta Paróquia de São Vicente Ferrer. Era um homem de grande dinamismo e enorme capacidade de trabalho. Deve-se ao Padre Frederico a construção de um conjunto de casas populares no sítio Malhada – que leva o nome da mãe daquele sacerdote, Adolfina Nierhoff – ainda hoje modelo de assentamento rural com geração de emprego e renda.

    Nos anos 40 e 50 do século passado o Cariri cearense era conhecido no Brasil como um dos maiores focos de tracoma, infecção que afeta os olhos e, se não for tratada, pode causar cicatrizes nas pálpebras e cegueira. Padre Frederico selecionou voluntários da zona rural de sua paróquia para ajudar a "Campanha Federal Contra o Tracoma", iniciativa do Departamento Nacional de Saúde Pública.

    No início da década 60 essa moléstia tinha sido erradicada da zona rural do município de Crato.Desgostoso com a redução da Paróquia de São Vicente Ferrer a um território de poucos quarteirões no centro de Crato, Padre Frederico desligou-se em 1969 da diocese de Crato e foi ser vigário de Custódia (Pernambuco) onde renovou a pintura interna e retelhou a cobertura da nave central da Igreja de São José, padroeiro daquela cidade. Apesar do pouco tempo em que ali foi pároco, ainda modificou e reformou a casa paroquial, comprou um prédio comercial e fundou o Lions Clube de Custódia.

    Dali saiu para ser pároco e vigário-geral da diocese de Floresta (PE), aonde no dia 31 de outubro de 1975 sofreu um enfarte enquanto dirigia um carro. Este, desgovernado, capotou ocasionando a morte do Padre Frederico.Sua repentina e inesperada morte foi muito lamentada em Crato, onde o Padre Frederico trabalhou com dedicação e carinho juntos aos mais necessitados e onde possuía muitos amigos.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. ARMANDO RAFAEL disse:

    Quando postei o meu artigo -- sobre o Padre Frederico -- em 2008, fiz um pequeno comentário (que transcrevo abaixo), respondendo a Antônio Morais.

    "Morais:

    1) Você falou acertadamente: um dia vão fazer justiça a Padre Frederico.Nem sempre os poderes públicos de Crato são gratos aos grandes benfeitores desta cidade. Dom Vicente Matos – o maior benfeitor da Princesa do Cariri – é um exemplo evidente disso.
    Basta dizer que até hoje a Câmara de Vereadores nunca denominou uma rua de Crato de “Dom Vicente Matos”.

    Padre Frederico é outro injustiçado. Não fora a iniciativa do Padre José Honor de Brito de denominar uma escola (anexa à Igreja de São Miguel) de “Padre Frederico”, esse generoso alemão teria “passado em branco” nas homenagens que a Cidade de Frei Carlos ainda está a lhe dever.Nos mais de 20 anos que exerceu benéfica ação pastoral como missionário em Crato, Padre Frederico (além das obras materiais citadas no articuleto) adaptou-se à psicologia da população cratense e usou da sensibilidade de que era dotado, deixando marcas de um trabalho carinhoso junto às camadas mais necessitadas. Serviu aos fiéis que lhe foram confiados como verdadeiro pastor, fazendo também as vezes de orientador e de amigo.

    2) Realmente, a Internet não tinha nada sobre o Padre Frederico. Agora tem um pouqinho, resultado da minha pesquisa. Para atender ao seu pedido conversei com algumas pessoas. Uma delas, dona Almina Arraes de Alencar Pinheiro, me fornecu uma lembrancinha da Missa de 30º dia do Padre Fredeiro, celebrada na Alemanha, cujo texto consta:
    "Gedenket im Gebet und beim Heiligen Oppfer des Hochwürdigen HerrnPater Fritz NierhoffMissionar von der Heiligen FamilieGeneral vicar und Pfarrer im Bistum Floresta/Brasilien * 26.Januar 1916 + 31.oktober 1975Pater FRITZ NIERHOFFWurde am 26.Januar 1916 als achtes Kind des Gastwirts Hermann Nierhoff und dessen Gattin Adolfine in Gelsenkirchen geboren. Nach einer erfolgreich abgeschlossenen Schulausbildung began er mit seinen theologischen Studien an den Missionsschulen in Oberhundem, Lebenhan und in Grave/Holland.Am 8.9.1936 SchloB er sich durch sein erstes Ordensgelübde der Kongregarion der Missionare der Heiligen Familie an.Noch als Theologiestudente MuBte er am 7.3.1938 wegen der politischen Unwägbarkeiten des Dritten Reiches die Heimat verlassen und setzte seine Studien in Brasilien na den Priesterseminaren in Recife und Crato fort. Dort wurde er dann auch 1.5.1941 zum Priester geweiht. Er war somit der erste und über 30 Jahre lang der einzige aus seiner Heimatgemeinde Heiligen. Dreifaltigkeit in Gelsenkirchen-Haverkamp hervorgegangene Priester.Sein tatkräftiger Einsatz in der Seelsorge und seine menschliche Art kennzeichnen seine missionarische Arbeit in Brasilien und lieben ihn die Verehrung und Zuneigung seiner Mitbrüder, aber insbesondere auch dia Liebe der Gläubigen erwerben. In dieser ständigen Hilfe für die tiefsten Sorgen Nöte seiner ihm anvertrauten Gläubigen wurde er auch gleichzeiting zum Architekten, Ingenieur, Rechtsanwalt und Arzt. Ebenso wie viele von ihm eigenhändig erbaute Schule, Krankenhäuse und Kirchen, so sind alle seine Mitbrüder und Gläubigen Zeugen dieser seiner autopferungsvollen und vielseitigen Arbeit.Plötzlich und unerwartet rief der Herr über Leben und Tod seinen Diener am 31.10.1975 in Floresta/Brsilien zu sich die ewige Heimat. Sein To dist vieler Hinnsicht ein spürbarer verlust.Um ihr Gebet für den lieben Verstorbenen bitten die Geschwister und anverwandten und die Missionare von der Heiligen Familie.SELIG SIND DIE TOTEN,DIE IM HERRN STERBENSIE SOLLEN AUSRUHENVON IHREN MÜHENDENN IHRE WERKEFOLGEN IHNEN NACH"

    ResponderExcluir
  6. Querido Armando Rafael.

    Estou postanbdo o seu artigo original no Blog do Crato, após mais de um ano em que ele foi ao ar, a fim de mostrar que muita gente se apropria dos escritos das outras. A internet está cheia dessas coisas, infelizmente. Normalmente, são apenas mal-entendidos.

    O Seu texto foi postado no Blog do Sanharol no dia 24 de Dezembro de 2009.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  7. Caro Professor Armando,

    Me desculpo com voce por nao citar o seu nome. Mas no Blog em que vi você nao é citado. Vou tentar editar e corrigir esse mal entendido

    ResponderExcluir
  8. Se houve falha do Dedê em não citar a autoria do texto, é válida a tentativa de resgate da História do Padre Frederico, vaidades à parte, parabéns Dedê por enriquecer sempre esse blog e ao Sr. Armando Rafael, por ser grande conhecedor da nossa história, e ao Dihelson, que sempre dá um jeitinho de caber na polêmica!

    ResponderExcluir
  9. Não foi culpa do Dedê. Ele tem a melhor das intenções. Aliás, sem ele nem teríamos sabido que esse texto anda á solta por aí. Parabéns Dedê.

    A culpa é do sistema como são publicadas as coisas na internet. Já encontramos diversas vezes esse problema. Aliás, estamos com algo semelhante so porque uma usuária postou um artigo baseado na publicação de outra pessoa.

    Abraços, Janinha.
    E o seu vizinho, Janinha, ainda perturbou muito ? rs rs

    DM

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...