sexta-feira, 12 de julho de 2013

Isabela Taviani


A combinação dos signos.
Sol em Libra, Ascendência em Virgem
A  jornada de Isabella Taviani começou nos bares da noite carioca em 1992 e levou a cantora a  conquistar um lugar de destaque na MPB.  Filha de pianista clássica e neta de cantor de ópera, cursou canto lírico por 6 anos e teatro na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL). Desde então, desenvolve um estilo que cativa a todos pela força e melodia envolvente de suas composições.
A trajetória artística e pessoal incorpora as fontes de onde se nutriu. De Dalva de Oliveira a Elis Regina, de Maria Callas a Maria Bethânia e Simone, Isabella  flerta com estilos “clássicos” da MPB com a mesma naturalidade com que compõe a verve popular nas canções.
Dizendo Sim pra vida
O primeiro CD em 2003, lançado pela Green Songs, conquistou as rádios do país inteiro com os hits "Foto Polaroid”, "Digitais", "Canção para um Grande Amor" e “De Qualquer Maneira ("Peixinho", para os íntimos).
Suas apresentações evoluiram dos bares para espaços cada vez maiores e Isabella iniciou a turnê lotando o Canecão/RJ. Foi neste palco que em 2005, contratada pela Universal Music,  gravou o CD e DVD "Isabella Taviani-Ao Vivo”.  
Foi aí que Isabella mostrou toda sua capacidade de interpretação para conseguir comandar multidões e fez do palco seu lugar favorito.
O palco é “A corda bamba, o espaço onde o artista corre sempre seu maior risco, onde mais se expõe e é mais verdadeiro”, como ela gosta de definir.
Com mais dois dias de Canecão lotado no lançamento do CD e DVD, partiu para solidificar sua carreira nacional.
Em 2006 recebeu o convite, e desafio, da regravação especial de "Viramundo" (Gil e Capinam) para a trilha sonora da mini-série Amazônia, da Rede Globo. Seu Mundo de fato virou…para ainda melhores rumos.
Dos pecados…melhor a Luxúria!
Em 2007, Taviani entrou em estúdio para a gravação do terceiro disco : "Diga Sim", lançado em agosto do mesmo ano. O trabalho chegou ao mercado já embalado por dois temas de novelas da Rede Globo:  "Luxúria", de Sete Pecados, e "Ternura", de Duas Caras. 
Pecados à parte, “Luxúria” veio como a primeira encomenda musical específica feita à compositora, que brinca ter sido favorecida na escolha deste erro “humano que beira a delícia”
 Intercalando grandes apresentações em capitais e shows mais intimistas pelo interior do Brasil, ultrapassou 60 mil cópias de CDs e DVDs vendidos do "Ao Vivo" e mais de 40 mil cópias do CD "Diga Sim", seguindo sua jornada em velocidade intensa e segura.
O coração acelerado.
Em 2009, a quarta marcha foi passada em um Maverick azul que representava “Meu Coração não quer viver batendo devagar". Esse quarto trabalho saiu com o single "Presente-Passado" entre as mais pedidas nas rádios de todo país. E Isabella inaugurou uma nova fase de composição. Nascia a idéia de parcerias nas canções. Dudu Falcão (“Eu não moro na sua vida”), Jorge Vercillo( “Argumentos de vidro” e “Depois da chuva”) e a grande amiga Zélia Duncan (“Arranjo”) entraram no universo antes solitário das melodias e letras.
Além das autorais, solas ou divididas, o disco ainda trazia como bônus track a regravação de um clássico de Chico Buarque: “Sob Medida”, feita especialmente para a trilha de “Caminho das Índias”.
Eu Raio X.
”Quando se entra para a gravação de um trabalho novo, tudo pode acontecer. Não se tem a noção exata de como o projeto vai sair. Nesse quinto disco foi bem diferente. Eu sabia com detalhes o que queria. E eu queria estar exposta, desnuda de grades e distâncias em relação ao ouvinte. Por isso a idéia de raspar os cabelos no momento das fotos para a capa, por isso a escolha do produtor e baixista André Vasconcellos ( velho parceiro desde 2003), dos músicos e do título. Eu estou ali…presente e transparente.”
“Raio X”, canção que inspirou o título do novo trabalho recém lançado, é da compositora mineira Myllena, parceira de outras 4 faixas (“Encaixotei minha paz”, “Contradição”, “Mulher sábia” e “A Imperatriz e a Princesa”.  Além da composição, Isabella divide com a parceira o ultimo track, “A Imperatriz e a Princesa”, um conto de fadas medieval com direito a “foram felizes para sempre”.
O primeiro single lançado, “A canção que Faltava”, já tem espaço garantido entre as principais radios do país. Prova de que, fiel ao nome, essa canção realmente faltava à MPB.
fonte:http://www.isabellataviani.com.br/site/perfil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...