domingo, 15 de maio de 2011

A REVOLUÇÃO DE EFINÉZIO

Monólogo Musical Tragicômico-Sertanejo de Cacá Araújo



PRÓLOGO

(Um baú no centro de um rio seco, iluminado por um tênue facho de luz. Ouve-se, de fora, uma canção enchendo o tempo)

Canção da Iniciança

Ur demonho du sertão
Di Deus teve a permissão
Pra isculhê um condenado
I du bucho máis sufrido
Um minino foi parido
Seno logo abandonado

Passô sêde i passô fome
Efinézo era u seu nome
Muntas lágrima ele chorô
Foi simbora da cidade
Si iscondeno da maldade
Qui sua mãe anunciô

Már ninguém muda u distino
I a tragédia du minino
Tava iscrita pelo chão
Cada lixo er’um segrêdo
Di morrê perdeu u mêdo
I fêiz a revolução

Foi um céu feito na terra
Sem butá u povo im guerra
Nosso herói plantô justiça
Máis u Cão é puderôso
I pra sê vitoriôso
Mata i mente na nutiça

Trecho da peça A REVOLUÇÃO DE EFINÉZIO, em fase de criação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...