quinta-feira, 22 de abril de 2010

A experiência e a juventude de um dos trios de forró pé-de-serra mais empolgantes do Brasil



Criado há 10 anos, o Trio Araripe carrega as origens nordestinas na história de seus integrantes, no som e no próprio nome. O título do grupo, aliás, é motivo de orgulho por tratar-se de uma homenagem à região onde o grande Rei do Baião, Luiz Gonzaga, nasceu. Mais orgulhoso ainda fica Tiziu, o criador, trianguleiro e vocalista do trio, que é praticamente conterrâneo do velho Gonzagão, pois nasceu em Iguatú-CE, ali bem próximo da serra do Araripe, de onde partiu toda a história do legítimo forró nordestino.

Experiência é o que não falta a Tiziu, que tem em seu nome mais de 200 composições gravadas. Aos 15 anos de idade, já dava os primeiros passos no meio musical em Fortaleza, Ceará. Em 1976, criou o Trio Nortista, com o qual ficou 12 anos, e depois seguiu em carreira solo. Quando foi para São Paulo, em 1985, chegou a cantar no primeiro salão de forró do sudeste e participou de trabalhos com Carmélia Alves – a Rainha do Baião -, Martinho da Vila e, claro, Luiz Gonzaga. Em 1998, reuniu-se com o amigo Cicinho Alves e montou o Trio Araripe, que mais tarde teve Chiquinho como sanfoneiro.

Para tocar a zabumba, Tiziu convidou alguém também cheio de energia nordestina, Zé Neto. Nascido em Alagoas (terra de Mestre Zinho), ele herdou o talento do pai, cantor, compositor e sanfoneiro, Benício Guimarães, e foi mostrar o que sabia em São Paulo, com 12 anos. Em seu currículo, Zé Neto traz participações ao lado de Jackson Antunes, Marinês, Anastácia, Cilene Araújo e Israel Filho. Enquanto Tiziu e Zé Neto carregam a experiência na bagagem, Clayton Gama não precisou de muito tempo para provar que é um dos maiores sanfoneiros da nova geração.

Aos 20 anos, o paulistano filho de pernambucano já está há oito tocando forró e há quatro no Trio Araripe. Sua juventude e seu talento contagiam o público e os companheiros do grupo, que, juntos, carregam todas as características que um autêntico trio de forró pé-de-serra deve ter: talento, experiência e alegria. No repertório do grupo, além de composições próprias, há músicas de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Mestre Zinho, Marinês e outros. Canções como "Forró Pesado", "O Fole Roncou" e "Vamos Xamegar" não ficam de fora dos shows.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...