quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Capacitação para reisados

Diversos grupos de reisados da região do Cariri participam do projeto de gestão Terreiro em Movimento
Juazeiro do Norte. Os grupos de tradição popular da região do Cariri estão tendo a oportunidade de se capacitarem na área cultural. A meta é desenvolver projetos a respeito da sua própria história e da trajetória dos reisados, bandas cabaçais e outras manifestações da cultura.

Uma forma de aprofundamento nos seus valores e maior interatividade com a gestão cultural. Pelo menos é o início de um trabalho no qual existe uma grande carência e uma necessidade de desenvolvimento de autogestão. Essa é a constatação da produtora cultural Beth Fernandes que, desde dezembro passado, iniciou um curso, que será concluído no fim deste mês, no qual prevalece a interatividade.

O trabalho faz parte do projeto "Terreiro em Movimento", desenvolvido por meio do Ministério da Cultura (Minc), com o edital Interações Estéticas.

A primeira etapa dos trabalhos foi iniciada com a visita na casa dos mestres de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, e o registro de imagens e depoimentos. Os festejos natalinos e Dia de Reis foram registrados. "Esse foi o momento da manifestação espontânea e que eles não precisam de nenhum incentivo da iniciativa privada para realizar as apresentações", diz Beth. No Centro de Cultura Popular Mestre Noza, em Juazeiro, foi realizada a apresentação oficial do projeto, por ser um Ponto de Cultura do Minc.

Finalidade
O projeto tem a finalidade de possibilitar uma noção inicial na área de gestão cultural, dentro dos próprios grupos, e mostrar a importância desses brincantes como produto cultural. Segundo Beth, é importante uma preparação técnica para que os integrantes dos grupos possam construir uma rede de relações.

Ontem, foi iniciada a quarta semana dos trabalhos, com aulas teóricas na parte de estruturação de projeto cultural. Entre os grupos participantes estão o Reisado dos Irmãos, do Bairro João Cabral, com o mestre Antônio; Reisado Mirim Estrela Guia, com a mestra Lúcia; a Banda Cabaçal Maluvidos e as Guerreiras de Santa Madalena, também do João Cabral.

A capacitação tem tido uma rotatividade de espaço. A Cooperativa dos Artistas, no Bairro João Cabral, semana passada sediou os trabalhos.

A instituição é liderada pelo Reisados dos Irmãos. Passou pelo Teatro Municipal Marquise Branca, e também no Sesc. Cada grupo desenvolve a sua própria história, tendo o mestre como o principal articulador desse presente e passado, no resgate da tradição dos grupos.

História
"Na verdade, a intenção desse trabalho é desenvolver um projeto com a história dos próprios grupos e eles possam levar para as diversas instituições todos os aspectos desse trabalho, com um projeto já desenvolvido sobre a sua própria trajetória", explica. No próximo dia 28 de fevereiro, será realizado um encontro festivo entre a tradição e a produção, no Centro Mestre Noza, no intuito de mostrar o resultado desse trabalho.

Disponibilização
A imagem dos grupos e depoimentos, dentro do projeto, estarão sendo disponibilizados também em DVD. A meta é distribuir 300 discos desses nos centros culturais de todo o Brasil.

De acordo com a produtora Beth, a ideia é, além de divulgar o projeto juntamente com os grupos, realizar a capacitação.

Formada em produção cultural, pela Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro, a produtora está há cerca de 5 anos no Rio. Com formação também na área de artes cênicas, Beth Fernandes há dois anos realizou o projeto "Terreira Cearense", em terras cariocas. "Em Juazeiro, estou experienciando as ações, como forma de viver e estudar os terreiros", afirma.

A produtora aponta a carência dos grupos, desde que retornou ao Juazeiro para desenvolver o projeto, como muito maior do que esperava. "Eles precisam ser capacitados para poder desenvolver pequenos textos e levar aos órgãos até da própria região, e mostrar a sua história, uma programação de trabalho", relata, ao destacar a necessidade de autonomia do grupo de tradição popular, para que eles mesmos possam ser os articuladores do projeto de vida para a disseminação dos seus próprios valores culturais.

Grupos
São dezenas de grupos na região, a exemplo dos grupos do Bairro João Cabral, Bairro Pio XII, e também no Crato, com grupos como o Reisado do Mestre Cirilo, na Vila Lobo, Dedé de Luna, no Bairro Muriti. Preservar a tradição tem sido tomado a sério por esses grupos.

No Muriti, já se trabalha com crianças há alguns anos, e também na Vila Lobo. Mas alguns mestres chamam a atenção para um compromisso maior da juventude, já que eles vieram de uma época em que o prazer de manter a tradição nascia mesmo era da espontaneidade.

Para a produtora, os próprios jovens mesmo já conhecendo a leitura, necessitam dessa noção da técnica para registrarem o seu próprio produto e, assim, conhecerem mais a fundo sua história e valores.

Demanda
"A carência dos grupos é maior do que imaginei. Esse projeto cultural visa também a capacitação"
Beth FernandesProdutora Cultural

MAIS INFORMAÇÕES
Trabalho com grupos de reisados populares
bethaproducoes@gmail.com
Telefone: (21) 8025.7033

ELIZÂNGELA SANTOSREPÓRTER
fonte:http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=930014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...